sexta-feira, 20 de abril de 2018

Fábio Magalhães




Fábio Magalhães (1982-)


Desenvolve trabalhos com a mídia da Pintura. Suas obras surgem de metáforas criadas a partir de pulsões, das condições psíquicas e substratos de um imaginário pessoal, até chegar a um estado de Imagem/Corpo. Os resultados são obtidos por meio de artifícios que nascem de um modus operandi, que parte de um ato fotográfico e materializa-se em pintura. O artista apresenta encenações meticulosamente planejadas, capazes de borrar os limites da percepção, configuradas em distorções da realidade e contornos perturbadores. Desse modo, seu trabalho reúne um conjunto de operações, em que sua pintura ultrapassa as barreiras do Eu até encontrar o Outro, o Ser.
Fábio Magalhães (Tanque Novo – BA, 1982). Vive e trabalha em Salvador. Ao longo da carreira, realizou exposições individuais, a primeira em 2008, na Galeria de Arte da Aliança Francesa – Salvador/BA. Em 2009, “Jogos de Significados”, na Galeria do Conselho – Salvador/BA. Em 2011, “O Grande Corpo”, Prêmio Matilde Mattos/FUNCEB, na Galeria do Conselho – Salvador/BA. Em 2013, “Retratos Íntimos” na Galeria Laura Marsiaj – Rio de Janeiro. Foi selecionado para o “Rumos Itaú Cultural 2011/2013”; Entre as mostras coletivas estão: Em 2012 “Convite à Viagem -Rumos Artes Visuais 2011/2013”, no Itaú Cultural – São Paulo/SP, com curadoria do Agnaldo Farias; “O Fio do Abismo – Rumos Artes Visuais, 2011/2013” – Belém/PA, com curadoria de Gabriela Motta; “Territórios” na Sala FUNARTE/Nordeste – Recife/PE, com curadoria do Bitu Cassundé; “Espelho Refletido” no Centro Cultural Hélio Oiticica – Rio de Janeiro/RJ, com curadoria do Marcus Lontra; “Paraconsistente”, no ICBA – Salvador/BA, com curadoria de Alejandra Muñoz; Em 2009, “60º Salão de Abril” em Fortaleza/CE; e “63º Salão Paranaense” em Curitiba/PR; “XV Salão da Bahia” em Salvador/BA, em 2008; “I Bienal do Triângulo” em Uberlândia/MG, em 2007; Entre outras. Em 2011, recebeu o Prêmio FUNARTE Arte Contemporânea / Sala Nordeste; em 2010, Prêmio Aquisição e Prêmio Júri Popular no I Salão Semear de Arte Contemporânea em Aracaju/SE; Prêmio Fundação Cultural do Estado, em Vitória da Conquista/BA, e Menção Especial em Jequié/BA.



Encontro (Série Superfícies do Intangível) / Óleo sobre Tela / 190 x 315 cm / 2014.


Encontro Impossível (Série Superfícies do Intangível) / Óleo sobre Tela / 190 x 216 cm / 2014



 Afago II (Série Superfícies do Intangível) / Óleo sobre Tela / 190 x 209 cm / 2014.



A certeza é a prova da dúvida (Série Latências Atrozes) / Óleo sobre Tela / 190 x 230 cm / 2015.


Cofres para instintos primitivos (Série Latências Atrozes) / Óleo sobre Tela / 190 x 210 cm / 2015.


Em tempos de incertezas, o devaneio é a via de fuga (Série Latências Atrozes) / Óleo sobre Tela / 170 x 220 cm / 2015.


Sem Título (Série Retratos Íntimos) / Óleo sobre tela / 190 x 190 cm / 2013.


Sem Título (Série Retratos Íntimos) / Óleo sobre tela / 140 x 190 cm / 2010 / Coleção Particular.


Sem Título (Série Retratos Íntimos) / Óleo sobre tela / 100 x 130 cm / 2012 / Coleção Particular.


Sem Título (Série Retratos Íntimos) / Óleo sobre tela / 150 x 150 cm / 2013 / Coleção Particular.


Sem Título (Série Retratos Íntimos) / Óleo sobre tela / 190 x 140 cm / 2012.


 4 Quilos e 700 Gramas (Série Fronteiras do Devoluto) / Óleo sobre Tela / 140 x 140 cm / 2012.


30 gramas (Série Fronteiras do Devoluto) / Oleo sobre Tela / 80 x 80 cm / 2013 / Coleção Particular.



210 Gramas (Série Fronteiras do Devoluto) / Óleo sobre Tela / 100 x 130 cm / 2012 / Coleção Particular.


430 gramas (Série Fronteiras do Devoluto) / Óleo sobre Tela / 80 x 80 cm / 2013 / Acervo Escola de Belas Artes - UFBa.





Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now