sábado, 21 de outubro de 2017

Alvaro Seixas: Uma Visão



Num momento crítico para a democracia, o meio de artes plásticas está desunido. Um dos antecedentes talvez resida nas milícias diplomáticas dentro de nosso próprio mundo artsy: artistas, curadores, galeristas, professores etc se policiando quando veem surgir uma mínima possibilidade de debate que possa ferir o corporativismo (para não escrever "panelinha"). Muitos (não todos) os artistas top não estiveram em diálogo com colegas de sua geração e das novas, ou inseridos em debates que não fossem apenas voltados para a própria arte e/ou acúmulo de riquezas ou, ainda, com os olhares voltados para fora do Brasil. O nosso meio foi e ainda é inegavelmente elitista e corporativista. Certas galerias odeiam artistas ou não atendem interfone para quem não seja digno de compartilhar do mesmo ar-condicionado cultural e paredes brancas. Essa desunião não ocorre apenas dentro da classe das artes plásticas, mas na sua relação com outras esferas. Diferente da música, do cinema e da TV, temos medo, por exemplo, do humor e da improvisação sincera. Introjetamos, erroneamente, milímetro por milímetro, que devemos ser sérios e, agora, unir-se fica difícil, pois nossa capacidade de debater não foi exercitada e nos engessamos em velhas fórmulas, tentando converter nossas poéticas num colete à prova de bala. A "obra aberta"; a "porosidade", a "experiência" e a "morte do autor" foram transformadas em commodities. Muitas vezes censuramos a nós mesmos, inclusive no sentido individual, não apenas interpessoal. A crítica de um artista ao trabalho de um outro é tomada como absurda e motivo de desavença eterna (tudo isso sem uma franca discussão). Muitos ridicularizaram a academia (já ouvi gente importante do meio dizer que ser artista-professor é para quem não se destacou como artista-artista, colocando o mercado em primeiro, ou único plano). Não vejo nenhum problema em ser representado por galerias, sou representado por três, e com elas mantenho uma relação bem amistosa que não interfere negativamente no meu trabalho de professor. Nós do meio de arte brasilis somos pop, mas não somos populares.


Alvaro Seixas é artista plástico e professor doutor, Escola de Belas Artes, U.F.R.J.

Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now