terça-feira, 25 de julho de 2017

Imagem Semanal: Maçã


Albrecht Dürer (1471-1568)  Adam and Eve, 1507. 

Crispin van den Broeck (1524-1591) Two Young Men, s.d. The Fitzwilliam Museum.

Rapahelo Sanzio (1483-1520) Three Graces, 1504-1505. Musée Condé



Jacques Blanchard (1600-1638) The Virgin with Child Jesus with St Anne Offer an Apple.

Peter de Hooch (1629-1684) A Woman Peeling Apples, 1630. Wallace Colection, Londres.

Francisco de Zurbarán (1598-1664) A Virgem da Maçã, 1660-64 Museo Nacional de Bellas Artes de La Habana.


Giovanni Battist Langetti (1625-1676) Tantalus, s.d. Coleção particular.

Nicolas Colombel (1644-1717) Hippomenes and Atalanta, 1680. Lichtenstein Museum

Dante Gabriel Rosetti (1828-1882) Venus Verticordia, 1866. Russel Cotes Art Museum.


Frederick Morgan (1856-1927) The Apple Gatherers, 1880.



Charles-François Daubigny (1817–1878) Apple Blossons, 1863. Metropolitan Museum of Art, Nova York.

Camile Pissaro (1830-1903). Apple picking at Erayny-sur-Ept, 1886. Ora Museum of Art, Okayama, Japão.

Paul Cézanne (1839-1906) Still-Life with Apples, 1895-1898.



Vincent van Gogh (1853-1889)  Gardener near Gnarled Apple Three, 1883. Litografia. Localização desconhecida.



Alberto Giacometti (1901–1966) Still-Life with Apple, 1937, Metropolitan Museum of Art, Nova York.

Rene Magritte (1898-1967)  Beautifull Realities1962. Coleção particular.

Yoko Ono (1933-) Apple, 1966. Coleção particular.




Roy Lichtenstein (1923–1997) Red Apple, 1983. Metropolitan Museum of Art, Nova York.


Joan Brossa (1919-1998) Bipolar, 1991

Claes Oldenburgo (1929-)  Apple, 2006. Israel Museum, Jerusalém.



Katharina Fritsch (1956-)  Apple, 2010.


Tom Friedman (1965-)   Untitled (apples), 2012,


Claudia Bakker (1964-)

 Foi a primeira artista a usar em grande quantidade e ainda a relacionando com o mármore no campo físico e não da ilusão.O uso das maçãs por ela na fonte do Açude(1994) foi uma forma/conceito de usar a linguagem, entre a fonte/Duchamp e as maçãs/Cézanne fazendo uma alusão a um outro tempo, após a modernidade, o contemporâneo e nele o uso das instalações, dando continuidade a discussão da própria arte e sua transformação espaço temporal.


Quanto Tempo Dura, 1988. Instalação. Fotografia Claudia Bakker.

O Jardim do Éden e o Sangue Górgora Museu Açude. Fototexto 1994/2010. Foto Claudia Bakker.



De João Cabral de Melo Neto a João Cabral de Melo Neto em a Lição de Pintura, 2010. Foto Claudia Bakker.

Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now