terça-feira, 25 de julho de 2017

Imagem Semanal: Maçã


Albrecht Dürer (1471-1568)  Adam and Eve, 1507. 

Crispin van den Broeck (1524-1591) Two Young Men, s.d. The Fitzwilliam Museum.

Rapahelo Sanzio (1483-1520) Three Graces, 1504-1505. Musée Condé



Jacques Blanchard (1600-1638) The Virgin with Child Jesus with St Anne Offer an Apple.

Peter de Hooch (1629-1684) A Woman Peeling Apples, 1630. Wallace Colection, Londres.

Francisco de Zurbarán (1598-1664) A Virgem da Maçã, 1660-64 Museo Nacional de Bellas Artes de La Habana.


Giovanni Battist Langetti (1625-1676) Tantalus, s.d. Coleção particular.

Nicolas Colombel (1644-1717) Hippomenes and Atalanta, 1680. Lichtenstein Museum

Dante Gabriel Rosetti (1828-1882) Venus Verticordia, 1866. Russel Cotes Art Museum.


Frederick Morgan (1856-1927) The Apple Gatherers, 1880.



Charles-François Daubigny (1817–1878) Apple Blossons, 1863. Metropolitan Museum of Art, Nova York.

Camile Pissaro (1830-1903). Apple picking at Erayny-sur-Ept, 1886. Ora Museum of Art, Okayama, Japão.

Paul Cézanne (1839-1906) Still-Life with Apples, 1895-1898.



Vincent van Gogh (1853-1889)  Gardener near Gnarled Apple Three, 1883. Litografia. Localização desconhecida.



Alberto Giacometti (1901–1966) Still-Life with Apple, 1937, Metropolitan Museum of Art, Nova York.

Rene Magritte (1898-1967)  Beautifull Realities1962. Coleção particular.

Yoko Ono (1933-) Apple, 1966. Coleção particular.




Roy Lichtenstein (1923–1997) Red Apple, 1983. Metropolitan Museum of Art, Nova York.


Joan Brossa (1919-1998) Bipolar, 1991

Claes Oldenburgo (1929-)  Apple, 2006. Israel Museum, Jerusalém.



Katharina Fritsch (1956-)  Apple, 2010.


Tom Friedman (1965-)   Untitled (apples), 2012,


Claudia Bakker (1964-)

 Foi a primeira artista a usar em grande quantidade e ainda a relacionando com o mármore no campo físico e não da ilusão.O uso das maçãs por ela na fonte do Açude(1994) foi uma forma/conceito de usar a linguagem, entre a fonte/Duchamp e as maçãs/Cézanne fazendo uma alusão a um outro tempo, após a modernidade, o contemporâneo e nele o uso das instalações, dando continuidade a discussão da própria arte e sua transformação espaço temporal.


Quanto Tempo Dura, 1988. Instalação. Fotografia Claudia Bakker.

O Jardim do Éden e o Sangue Górgora Museu Açude. Fototexto 1994/2010. Foto Claudia Bakker.



De João Cabral de Melo Neto a João Cabral de Melo Neto em a Lição de Pintura, 2010. Foto Claudia Bakker.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Mamma Anderson






Karin Mamma Andersson  (1962-) Nasceu em Lulea, Suécia. Graduou-se pelo Royal Institute of Art, Estocolmo. Seu trabalho foca especialmente paisagens evocativas e melancólicas ou interiores privados não descritivos.  Participou das Bienais de Berlim e Veneza. Sua primeira exibição nos Estados Unidos foi no Aspen Museum of Art. Em 2006, recebeu o Carnige Art Award importante prêmio dos países nórdicos.Tem dois filhos com o artista sueco Jockum Nordström  Vive e trabalha em Estocolmo, Suécia. É representada pelas galerias David Zwirner, Nova York e Stephen Friedman Gallery, Londres e Magnus Karlsson, Estocolmo. É considerada como a artista sueca mais conhecida no mundo.

Abandoned, 2008.

Stump Up, 2008.

Dead End, 2010.


Dog Days, 2011.


Mothers Day, 2013.


Saga, 2013.


Backdrop, 2013.


Headless Man in Stockings, 2015.


Dress, 2015.


Sterbhus, 2015.


Swan Song, 2015.


Doll, 2016.


Grandma, 2016.

Für Elise, 2016.


 Easter, 2016.

Forgotten, 2016

Sleep, 2016.

Cabinet, 2016.

The Weakening Eye of Day, 2017.


Exposição Stephen Friedman Gallery, 2017.

domingo, 23 de julho de 2017

Imagem Semanal: A Maçã


Albrecht Dürer (1471-1568)  Adam and Eve, 1507. 

Crispin van den Broeck (1524-1591) Two Young Men, s.d. The Fitzwilliam Museum.

Rapahelo Sanzio (1483-1520) Three Graces, 1504-1505. Musée Condé



Jacques Blanchard (1600-1638) The Virgin with Child Jesus with St Anne Offer an Apple.

Peter de Hooch (1629-1684) A Woman Peeling Apples, 1630. Wallace Colection, Londres.

Francisco de Zurbarán (1598-1664) A Virgem da Maçã, 1660-64 Museo Nacional de Bellas Artes de La Habana.


Giovanni Battist Langetti (1625-1676) Tantalus, s.d. Coleção particular.

Nicolas Colombel (1644-1717) Hippomenes and Atalanta, 1680. Lichtenstein Museum

Dante Gabriel Rosetti (1828-1882) Venus Verticordia, 1866. Russel Cotes Art Museum.


Frederick Morgan (1856-1927) The Apple Gatherers, 1880.



Charles-François Daubigny (1817–1878) Apple Blossons, 1863. Metropolitan Museum of Art, Nova York.

Camile Pissaro (1830-1903). Apple picking at Erayny-sur-Ept, 1886. Ora Museum of Art, Okayama, Japão.

Paul Cézanne (1839-1906) Still-Life with Apples, 1895-1898.



Vincent van Gogh (1853-1889)  Gardener near Gnarled Apple Three, 1883. Litografia. Localização desconhecida.



Alberto Giacometti (1901–1966) Still-Life with Apple, 1937, Metropolitan Museum of Art, Nova York.

Rene Magritte (1898-1967)  Beautifull Realities1962. Coleção particular.

Yoko Ono (1933-) Apple, 1966. Coleção particular.




Roy Lichtenstein (1923–1997) Red Apple, 1983. Metropolitan Museum of Art, Nova York.


Joan Brossa (1919-1998) Bipolar, 1991

Claes Oldenburgo (1929-)  Apple, 2006. Israel Museum, Jerusalém.



Katharina Fritsch (1956-)  Apple, 2010.


Tom Friedman (1965-)   Untitled (apples), 2012,


Claudia Bakker (1964-)

 Foi a primeira artista a usar em grande quantidade e ainda a relacionando com o mármore no campo físico e não da ilusão.O uso das maçãs por ela na fonte do Açude(1994) foi uma forma/conceito de usar a linguagem, entre a fonte/Duchamp e as maçãs/Cézanne fazendo uma alusão a um outro tempo, após a modernidade, o contemporâneo e nele o uso das instalações, dando continuidade a discussão da própria arte e sua transformação espaço temporal.


Quanto Tempo Dura, 1988. Instalação. Fotografia Claudia Bakker.

O Jardim do Éden e o Sangue Górgora Museu Açude. Fototexto 1994/2010. Foto Claudia Bakker.



De João Cabral de Melo Neto a João Cabral de Melo Neto em a Lição de Pintura, 2010. Foto Claudia Bakker.



Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now