quinta-feira, 18 de maio de 2017

Conversando sobre Arte entrevista com a artista Analu Nabuco, Rio de Janeiro.





Quem é Analu Nabuco? 
Me chamo Ana Lucia Nabuco de Abreu, nome artístico Analu Nabuco nascida no Rio de Janeiro Brasil. Cursei ensino básico no colégio Santa Úrsula, fiz Normal no colégio Bennet e  faculdade de Pedagogia na Universidade Santa Úrssula (para mais cursos complementares,  profissional e artístico ver currículo em anexo).

Como a arte entrou em sua vida?
O gosto pela estética e pelas artes em geral sempre fizeram parte da minha vida, tanto no ambiente familiar quanto nas viagens que fiz por países do Ocidente e do Oriente de uma maneira geral visitando cidades ,museus ,teatros ,shows,óperas etc...Tudo somado me ensinou não só a cultura de cada um como me deu a oportunidade de observar e desenvolver o meu gosto pelas artes

Qual foi sua formação artística?
(Ver currículo em anexo)

 Que artistas influenciam  sua obra?
Foram muitos: Kurt Schwister, Louise Bourgeois, Joseph Beuys, Leda Catunda, Ligia Clark, Eva Hesse, David Smith, Tapies, Antony Caro,Tunga, Farnese entre outros
Como você descreve seu trabalho? 
Tendo passado pelo barro,bronze,ferro,concreto e outros materiais também fiz experiências com fotografia, vídeo-arte,colagens e gravuras Hoje meu centro de pesquisa artística se concentra nas Assemblages. (Ver texto Paulo Sérgio Duarte em anexo). A experimentação dos materiais de uma maneira geral sempre me interessou muito.

Você fez  recentemente exposição individual no CC Cândido Mendes, poderia nos contar como foi a experiência?
Na minha recente exposição na Galeria da Cândido Mendes de Ipanema, tive a oportunidade de sentir o prazer com que as pessoas de um modo geral se surpreendem com a possibilidade de um novo olhar que as obras de arte despertavam nelas. Objetos assemblages feitas com o descarte da nossa sociedade , pequenas madeiras recolhidas da natureza ou restos de barco achado na praia nas caçambas nas minhas andanças  pela cidade coisas banais que normalmente passam desapercebidas pelo olhar distante e distraído das pessoas. Foi como transformar o ordinário em extraordinário.

É possível viver de arte no Brasil?
É possível para uma minoria de artistas, mas para a grande maioria só se torna possível desde que se faça uma atividade afim, tipo professor de arte, crítico , curador, etc...

A mulher e o homem estão em igualdade no mercado de arte?
Em termos de Arte Brasileira talvez Ex: Beatriz Milhazes, Adriana Varejão, Mirian Schendel, Ligia Pape, Tarsila, Anita Malfate e por ai vai.

Os salões ainda são válidos? Alguma sugestão para aprimorá-los
Para os iniciantes talvez, mas de um modo geral acho que estão em extinção.
Não tenho nenhuma sugestão para melhora-los

O que é necessário para um artista ser representado por uma galeria?
Precisa da recomendação de um curador ou de outro artista legitimado.

Quais são seus planos para o futuro?
Continuar desenvolvendo o meu trabalho mergulhando em novas pesquisas,
Continuar a ler muito sobre Arte
Fazer outras exposições quem sabe em São Paulo ou em outros estados brasileiros, expandindo a minha Arte pelo Brasil e quem sabe lá fora também.
Arriscar-me sempre
Analu Nabuco


Livros piso de madeira 20x20. Largo das Artes.


Linha do Horizonte. Exposição: Primeira matéria.



Dança das Tesouras. Exposição: Primeira matéria.



Fiadeira. Exposição: Primeira matéria.



 Touro. Exposição: Primeira matéria.

Primavera.



Bicho Serra.  Exposição: Primeira matéria.


Séria Fossilis.  Exposição: Primeira matéria.


Galho.  Exposição: Primeira matéria.

Orgânica Estendida. Exposição coletiva, 2017.




FORMAÇÃO ACADÊMICA

Pedagogia – Universidade Santa Úrsula (USU - 1971)

FORMAÇÃO ARTÍSTICA
Arte Contemporânea
Nelson Lerner
Composição
Gianguido Bonfanti
Anna Bela Geiger
Escultura
Mario Agostinelli
Jaime Sampaio
Ricardo Frazão
MAM – Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro
Aquarela – Abelardo Zaloar
Desenho e Pintura – Rubens Gerchman
Escola de Artes Visuais do Parque Lage
Oficina do Corpo – Astréia El Jack
Serigrafia – Evany Miranda

CURSOS DE EXTENSÃO

Vida Vício e Virtude - Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ, curadoria de Adauto Novaes
Circunstância e Alta Modernidade – João Wesley
Grupo de estudos sobre Arte Contemporânea   
Arte e Filosofia / Microfísica do Poder de Michel Focault                                
  Fernando Cocchiarale
Conceito como Consciência – Nelson Lerner
CIAE- (Curso Intensivo de Arte na Educação) - Escolinha de Artes do Brasil
Mitologia – Faculdades Integradas Cândido Mendes RJ.
Relações Humanas / Filosofia – PUC –RJ 

LÍNGUA ESTRANGEIRA

Inglês – Cultura Inglesa

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

Artista Visual– Especialização em Escultura, Objetos, Fotografia, Vídeo e Instalação.
1992 / 2017
ELR. Indústria e Comércio de Roupas Ltda. – Gerente de Vendas
1990 / 1991
Dinâmica Imobiliária e Planejamento Ltda. – Sócia e diretora administrativa
1989 / 1990
Fábrica Bangu – Representação de tecidos de decoração / Gerente de Vendas
1988 / 1989
ARB. Representações Ltda. – Sócia, decoradora e gerente de vendas 1983/ 1988



ANALU NABUCO
Ana Lucia Nabuco de Abreu
Rio de Janeiro – RJ

Formação Artística

·         Arte Contemporânea – Marcelo Campos
·         Fotografia – Marcos Bonisson
·         Núcleo de Trabalho e Estudos – João Wesley
·         Arte e Filosofia – Fernando Cocchiarale
·         Conceito Como Consciência – Nelson Leirner
·         Composição e Desenho - Gianguido Bonfanti
·         Escultura
o   Mario Agostinelli - bronze
o   Jaime Sampaio - bronze e resina
o   Ricardo Frazão - ferro e solda
·         Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro
o   Aquarela – Abelardo Zaloar
o   Pintura e composição – Rubens Gerchman
·         CIAE (Curso Intensivo de Artes na Educação) – Escolinha de Arte do Brasil administrado por Augusto Rodrigues e Noemia Varella
·         Escola de Artes Visuais do Parque Lage
o   Oficina do Corpo – Astréia El Jack
o   Serigrafia – Evany Miranda
o   Gravura em metal- Bia Amaral e Giodana Holanda

Exposições individuais


  • “Primeira Matéria” Galeria de arte Maria de Lourdes Mendes de Almeida / Centro Cultural Cândido Mendes, RJ. 2016
  • “Excessos” – Galeria do Porto, Angra dos Reis, RJ. 2007
·         “Você é você mesmo” – Instalação Babilônia, Jockey Clube, RJ.2001.
·         “Três Passos” – Casa de Cultura Laura Alvim, RJ. 1999.
·         “Momento 5” - Centro Cultural faculdade da Cidade, R.J., 1998.
·         Exposição Inaugural do Espaço Arte, RJ., 1996.
·         RIOCULT 95, RIOCENTRO, RJ., 1995.
·         Exposição de Máscaras – Espaço Cultural Torre de Babel, RJ., 1992
·         “UMA NOITE DE MÁSCARAS”- Galeria de Artes Bookmakers, RJ. 1992

Exposições coletivas

  • “Meus olhos te tocam”- Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian RJ maio de 2017.
  • Coletiva 2017” Organizada pela Galeria Maria de Lourdes Mendes de Almeida, Centro Cultural Cândido Mendes RJ 2017.

  • CONVERSA DE TABACARIA – Galeria do Ateliê da Imagem, Outubro de 2015.
  • ZONA OCULTA 10 ANOS ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO – Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian , Outubro de 2015
  • SOU MULHER, SOU LATINO AMERICANA – CEDIM, RJ. Março de 2015
  • TERRITÓRIOS GRÁFICOS – Gravuras- Galeria EAV Escola de Artes Visuais do Parque Lage RJ. Maio 2013
  • ROSA CHÓQUEM -  Fotografia- CEDIM,RJ. Março/Abril 2011
  • FÁBRICA DE FÁBULAS- Esculturas- SESC RAMOS, RJ.
                                           Março/Abril 2011
  • EDNO-  5º Coletiva de Vídeo, Ateliê da Imagem, RJ. Abril 2011
  • OPMET-  4 Coletiva de Vídeo, Ateliê da Imagem, RJ.2010
  • COLETIVA DE VIDEOS- Vídeo, Galeria Artur Fidalgo, RJ. 2009
  • 30x30 – Fotografias PB, Galeria Meninos de Luz, RJ. 2009
  • COLETIVA DE ABRIL_ Objetos,Galeria Largo das Artes, RJ. 2009
  • OÇAPSE- OPROC- ZUL – Coletânea de Vídeos/ Ateliê da Imagem,       RJ. 2009
  • ZONA OCULTA _ Fotografia CEDIM , RJ 2009
  • ZONA OCULTA – Escultura SESC Nova Iguaçu,RJ. 2009
  • PROJETO ZUL _ Vídeo Coletivo/Ateliê da Imagem,RJ. 2008
  • PROJETO OPROC - Vídeo coletivo/ Ateliê da Imagem, RJ. 2008
  • ILUSTRANDO O CINEMA BRASILEIRO – Artista Convidada,RJ.2008
  • PROJETO OÇAPSE – Vídeo coletivo/ Ateliê da Imagem, RJ. 2007
  • “INTERVENÇÃO NO MUSEU DA REPÚBLICA”, Palácio do Catete, Museu da República RJ. 2007 – “SUPORTE DE UMA INÉRCIA”
  • “TRABALHOS EM ANDAMENTO” Projeção de Fotografia / Ateliê
 da Imagem,RJ, 2007
  • “FOTO+2006”- Fotografia/ Prêmio Hercule Florence, Fundação Casa França Brasil ,RJ.,2007

·         UniversidArte” –Fotografias Universidade Estácio de Sá-RJ. 2006

·         “NANOEXPOSIÇÃO”- Objeto Galeria de Arte Espaço Universitário UFES. Espírito Santo, VITÓRIA  2006
·         “10 Bienal Nacional de Santos - Artes Visuais”-Fotografias
·         Centro Cultural Patrícia Galvão , SANTOS SP.  2006
·         “Imersão Ambiental”- Projeto de Arte Pública, EIA, SP. 2005
·         ‘Novíssimos 2005’ – Esculturas, Galeria de arte IBEU, RJ. 2005
·         “UniversidArte XIII” –Fotografia, Universidade Estácio de Sá, RJ., 2005
·         “Vinte por Vinte” – Objeto, Ateliê da Imagem, RJ., 2005
·         “60º Salão Paranaense” – Museu de Arte Contemporânea, P R, 2003/2004.
·         “Campo Transcendental” – Centro de Artes UFF, RJ., 2003.
·         “Mulheres de Laura” – Casa de Cultura Laura Alvim, RJ., 2001.
·         “Um Olhar na Sensibilidade Feminina” – Espaço Cultural Barra Point, RJ., 2000.
·         “40 Objetos 10 Objetivos” – Fashion Mall, RJ., 1998.
·         Ateliê do Rio – Artes & Cia, RJ. , 1998.
·         IV Salão Nacional de Arte Contemporânea, Campinas, SP. 1997.
·         I Salão de Artes Plásticas do Jardim Botânico Jardim Botânico RJ.1997.
·         Ministério do Exército – H.C.M., RJ. 1996
·         Galeria Jade – Esculturas, RJ. 1995.
·         III Exposição de Artistas Livres do Clube dos Decoradores RJ.1995.
·         II Salão de Confraternização de Artistas Plásticos, RJ. 1993.
·         “A Figura em Discussão” - Parque Lage, RJ. 1983

                                         

                                                                                                                                      

 Exposições Internacionais


·         Brasil em Paris – Galerie Herouet, Paris, França, 1996
·         18th Annual Artexpo New YorkJacob Javits Center, NY., U.S.A., 1996.
·         Feira de Arte Spectrum Miami-Miami Art Show,USA, Dezembro de 2014.




Premiação


·         “FOTO+2006”- Premio Hercule Florence, RJ. 2007
·         “UniversidArte XIII”- UniversidArte  Apresenta artista premiada em 2006 RJ.c/ exposição para o ano de 2007.
·         “10° Bienal Nacional de Santos”, Santos, SP.  2006 / Menção Honrosa
·         “1º Salão de Artes Plásticas da Escola Naval”, RJ. 2002 / Menção Honrosa.
·         I Salão de Arte Barra Point, R.J., 1999 – Menção Honrosa.
·         Salão de Artes Plásticas - Espaço 41, R.J., 1996
·         III Salão de Inverno de Artes Plásticas de Volta Redonda, 1996 – Prêmio Viagem.
·         VIII Salão de Artes Plásticas da RIOARTE, R.J.,     1994
·         I Salão de Artes do Centro Cultural da LIGHT, RJ. 1994.
·         II Salão de Artes Plásticas do Museu Histórico,RJ.1994.

Esculturas em Locais Públicos


Brincadeira II” Praça Professor. Souza Araújo, Barra da Tijuca, RJ. 1997.
(Apoio Prefeitura de Luiz Paulo Conde)

Esculturas em Shopping


·         “Brincadeira III”          Shopping Barra Garden,    RJ., 1997.
·         “Mulher Ajoelhada”    Centro Comercial ODEON, RJ. 1997.


Publicação


·         “Artes Plásticas Brasil” – Maria Alice & Julio Louzada.


Analu Nabuco





 ANALU NABUCO: A CORAGEM DE UMA ESCALA INTIMA
 Paulo Sergio Duarte

 A arte moderna, desde a segunda década do século XX, foi marcada pela prática das assemblages. Era mais um passo em direção ao pleno exercício da liberdade defendido, desde o final do século XVlll, pelo romantismo alemão. Picasso, sempre ele, a exercitou na sua série de "guitarras"; Duchamp e os dadaístas tiveram nas asse/nblages uma das forças de contestação às cômodas linguagens incorporadas e enaltecidas pela academia. Até hoje, não são poucos os artistas que fazem da assemblage o seu centro de pesquisa artística. Este é o caso de Analu Nabuco. No caso da arte no Brasil, quando vemos esses trabalhos de Analu é inevitável que venha à lembrança a obra de Farnese de Andrade (Araguari, MG, 1926 - Rio de Janeiro, RJ, 1996). O artista dedicou as últimas três décadas de seu trabalho às assemblages. Por isso, é necessário diferenciar as obras de um e de outro apesar da semelhança dos procedimentos. Farnese não deixa de recorrer a uma poética que envolve melancolia e, por que não lembrar, certa morbidez. Tratava-se de uma corajosa investigação numa época que vivia a comemoração do racionalismo das linguagens construtivas ou a elaboração crítica e política da Nova Figuração. Diante do estardalhaço contemporâneo, não falta coragem aos investimentos estéticos de Analu, ao empregar um procedimento tipicamente moderno, e usando uma escala íntima, poderíamos mesmo dizer, doméstica. Mas se em Farnese há o recurso à memória do corpo, à doença e à morte; já as coisas juntadas por Analu com frequência pertencem ao universo orgânico da natureza, aos quais são incorporados objetos do cotidiano, que temos todo dia à mão, embalagens de medicamentos, as caixas de guardados, a tesoura, que vão se transformar em "figuras" estranhas quando associadas aos galhos de árvores, pedaços de pequenos troncos. Mas não há morbidez. É como se esses objetos de arte vivessem quietos e felizes numa discreta existência. O que observamos é que as sugestões poéticas dos surrealistas não cessaram ainda de provocar a imaginação de artistas contemporâneos; afinal de contas, o que Analu Nabuco está fazendo é exatamente aquilo propugnado por lsidore Lucien Ducasse, o Conte de Lautréamont, nos "Chants de Maldoror", tão reverenciado por Breton e seus amigos.

 Rio de Janeiro, julho de 2016.


Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now