sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Metamorfose do abandono”, por Baba Jung



ALIANÇA FRANCESA BELO HORIZONTE ABRE A EXPOSIÇÃO “METAMORFOSE DO ABANDONO”, DE BABA JUNG, A PARTIR DE 16 DE NOVEMBRO
ARTISTA REUTILIZA REJEITOS DE CASAS DEMOLIDAS EM UMA INSTALAÇÃO E
TRABALHOS INÉDITOS, PRODUZIDOS ESPECIALMENTE PARA A GALERIA

Fragmentos de uma arquitetura temerosa. Descem as casas e sobem os prédios. No dia 16 de novembro, Baba Jung abre a mostra “Metamorfose do abandono”, a partir das 19h, na Aliança Francesa Belo Horizonte. Para a exposição, o artista traz trabalhos inéditos e monta uma instalação especialmente para o espaço.
Utilizando a técnica “assemblagem”, Baba Jung utiliza rejeitos de demolições de casas do bairro Serra, onde frequenta, e organiza as peças em blocos e formas e cor. Desenha a imagem da cidade que planejaria, reinventando os caminhos da vida, buscando os rios invisíveis que foram suplantados pelo asfalto.
“Infelizes os sacrilégios a um patrimônio em abandono. As janelas e os alpendres, as árvores e as lembranças... Desfazem da saudade que sentimos para erguerem o futuro que não imaginamos, não sonhamos. Descrevemos os caminhos do cotidiano a observar a cidade se desfazendo”, conta. 
Escalando as vias urbanas com a memória de um passado que não lhe visita mais, Baba Jung vê as casas existentes como resistências poéticas, que sobrevivem inquietas entre demolições, construções e erupções mundanas. “Regozija a paz e a prosperidade. Dorme a bondade de uma cidade que se automutila”, completa.
Dos dejetos e rejeitos fica a matéria. E é desta matéria que nascem as obras. “As madeiras contam histórias de lugares que foram - e que agora não serão. Falam de casas, prédios e tédios que são vendidos como adoração. Fica, portanto, o objeto, o sentido e o afeto: estas esculturas esculpem outra arquitetura que seria possível”, resume o artista. Resta o desenho. O esboço. E o plano. Este seria o planejamento do sonho - se a cidade ainda pudesse sonhar.
A exposição conta com uma apresentação de reflexões sobre a temática “patrimônio(s)”, sendo a oitava edição do programa Alianças Vivas. O buffet e os coquetéis são oferecidos pela loja de vinhos franceses Mon Caviste.

Sobre Baba Jung:
Após anos de estudos e pesquisas no exterior (França, Espanha, Alemanha e Gâmbia) o artista Baba Jung volta, em 2010, para o Brasil para cursar o bacharelado em Artes Plásticas na Escola Guignard, da UEMG. Aliando reaproveitamento de materiais e consciência do Patrimônio, suas pesquisas artísticas o levaram a realizar várias exposições individuais e coletivas, no Brasil e em países da Europa. Adaptáveis e sempre renovados, os trabalhos do artista se encontram na rua, graffitis ou assemblagens em fachadas de casas ou trens, ou em galerias com os quadros integralmente montados ou as esculturas versáteis.

SERVIÇO
“Metamorfose do abandono”, por Baba Jung
Abertura: 16 de novembro, a partir das 19h
Visitação: até dia 14 de dezembro.
Horários: seg. a qui. 8 às 21h / sex. e sáb. 8 às 16h30
Local: Aliança Francesa BH - Rua Tomé de Souza, 1418 – Savassi
Informações: afbh@aliancafrancesabh.com.br / 3291-5187
aliancafrancesabh.com.br

Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now