quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Jacques Ardies I Arte Naïf, Uma Viagem Na Alma Brasileira 12 de novembro


A Alma Brasileira retratada em forma espontânea


Oito décadas de Arte Naïf reunidas em exposição

Jacques Ardies, marchand franco-belga estabelecido no Brasil e proprietário da galeria que recebe o seu nome é também o curador da mostra coletiva “Arte Naif, uma viagem na alma brasileira”, com abertura no dia 12 de novembro, no Memorial da América Latina - Galeria Marta Traba. 
Interpretar a ‘arte naif’ por si só já é um desafio, visto que se trata de uma expressão regional que percorre o mundo assumindo aspectos de acordo com os artistas que expõe suas próprias experiências, por meio de linhas e formas peculiares, sem ter recebido uma orientação de escola de Belas Artes. Algumas de suas principais características são o uso de cores chocantes, a retratação de temas alegres, traços figurativos, a idealização da natureza e sem a preocupação com a perspectiva, ou seja, às vezes, ela é bidimensional. É exatamente por isso que no Brasil, esta arte goza de um ambiente ideal que se amplifica mais ainda graças à exuberância das florestas, à intensa luminosidade e ao conhecido calor humano brasileiro. 
Como trata-se de um país com tamanha vastidão cultural, para a mostra, foram escolhidos 70 nomes que representam o movimento. Os artistas estarão divididos em três núcleos: histórico – composto por registros de nomes já reconhecidos no segmento e com trajetória sólida; atual, com nomes ativos no presente, cujos trabalhos também sofrem influencias de novas técnicas e temas contemporâneos e complementando a exposição, uma área especial composta por 10 esculturas representativas do segmento destacado.
Segundo Jacques Ardies, a Arte Naïf baseia-se na liberdade para expressar memórias e emoções, por isso, escolhe apresentá-la em montagem em ordem cronológica, começando pela década de 40 até os dias atuais, com destaque para a pintura tropicalista, as evocações divinas em degradés sofisticados e outras características marcantes da cultura como cenas paulistanas, cores quentes, a boemia carioca e baianas em trajes finos.

Sem educação artística formal, o curador observa que os artistas conseguem superar suas dificuldades técnicas e criar uma linguagem inédita, pessoal e singular. Essa liberdade da execução permite maior dedicação ao essencial da arte que pode ser saboreada pelas pessoas que ainda preservam intacta sua capacidade de encantar-se com o que pode ser apreciado na exposição.


Artistas: Agenor, Agostinho Batista de Freitas, Alba Cavalcanti, Ana Maria Dias, Antônio Cassiano, Antônio de Olinda, Antônio Julião, Antônio Porteiro, Artur Perreira, Bajado, Barbara Rochltiz, Bebeth, Chico da Silva, Conceição da Silva, Constância Nery, Crisaldo Morais, Cristiano Sidoti, Denise Costa, Dila, Doval, Edivaldo, Edna de Araraquara, Edson Lima, Elisa Martins da Silveira, Elza O.S, Ernani Pavaneli, Francisco Severino, Geraldo Teles de Oliveira, Gerson, Gilvan, Grauben, Helena Coelho, Iaponí Araújo, Ignácio da Nega, Iracema, Isabel de Jesus, Ivan Moraes, Ivonaldo Veloso de Melo, José Antônio da Silva, José de Freitas, José Perreira, Lia Mittarakis, Louco, Lourdes de Deus, Lucia Buccini, Luiz Cassemiro, Madeleine Colaço, Magdalena Zawadzka, Maite, Malu Delibo, Mara Toledo, Marcelo Schimaneski, Maria Auxiliadora, Maria Guadalaupe, Miranda, Mirian, Neuton de Andrade, Olimpio Bezerro, Passarinheiro, Raimundo Bida, RodolphoTamanini Netto, Rosina Becker do Valle, Silvia Chalreo, Soati, Sônia Furtado, Vanice Ayres, Waldemar, Waldomiro de Deus, Wilma Ramos e Zé do Embu.












Exposição: “Arte Naïf, Uma Viagem Na Alma Brasileira
Curadoria: Jacques Ardies
Patrocinador: FOTOTICA
Abertura12 de novembro de 2016, sábado, às 16h.
Período13 de novembro de 2016 a 06 de janeiro de 2017
Local: Memorial da América Latina – Galeria Marta Traba
Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade Barra Funda - São Paulo
Horário: De terça a domingo, das 9h às 18h
Valor: livre (durante a semana); sábados e domingosR$10,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia entrada - estudantes com carteira, idosos, menores de 18 anos, portadores de necessidades especiais); gratuidade para menores de 5 e maiores de 80 anos. 
Organização: RING
Apoio: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo (PROAC)
Número de obras: 120
Técnicas: pinturas, esculturas, desenhos, objetos





A GALERIA
Galeria Jacques Ardies, na Vila Mariana, está sediada em imóvel antigo totalmente restaurado. Desde sua abertura em Agosto de 1979, atua na divulgação e a promoção da arte naif brasileira. Ao longo de 37 anos, realizou inúmeras exposições tanto em seu espaço como em instituições nacionais e estrangeiras, onde podemos destacar MAC/ Campinas, MAM/ Goiânia, Espace Art 4 - Paris, Espaço Cultural do FMI em Washington DC, USA, Galeria Jacqueline Bricard, França, a Galeria Pro Arte Kasper, Suíça e Gina Gallery, Tel-Aviv, ,Israel. Em 1998, Jacques Ardies lançou o livro Arte Naif no Brasil com a colaboração do crítico Geraldo Edson de Andrade e em 2003, publicou o livro sobre a vida e obra do artista pernambucano Ivonaldo, com texto do professor e crítico de arte Jorge Anthonio e Silva. Em 2014, publicou Arte Naïf no Brasil II, de sua autoria, com textos complementares dos colecionadores Daniel Achedjian, Peter Rosenwald, Marcos Rodrigues e Jean-Charles Niel. A galeria possui em seu acervo obras, entre quadros e esculturas, de 80 artistas representativos do movimento da Arte Naif brasileira.

Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now