quinta-feira, 22 de setembro de 2016

O Vôo do Falcão Rafael Vicente | pinturas Curadoria Marcus de Lontra Costa Almacen Thebaldi Galeria.


O vôo do Falcão
Rafael Vicente | pinturas
Curadoria Marcus de Lontra Costa

No próximo dia 22 de setembro às 17h, na Almacen Thebaldi Galeria, o artista Rafael Vicente apresenta uma individual de 20 pinturas recentes em acrílica sobre tela.

As obras de Rafael Vicente baseiam-se na memória das paisagens e dos estaleiros de Niterói, que abrigam antigas e coloridas embarcações, encostadas ao cais. O artista utiliza linguagem pessoal que busca integrar as cores da natureza às nuances de cor da sua paleta.

“Na concisão cromática  de Rafael Vicente persiste uma sensível aproximação com a estética cinematográfica noir.  As ações partem de um determinado ponto e se projetam em perspectivas que ultrapassam os limites da tela e envolvem o espectador. Essa é a estranha beleza dessa tensa atmosfera na qual tudo parece abismar-se. Nada é definitivo, verdades e mentiras, sujeito e objeto de uma oração em dialética, ‘tudo que é sólido desmancha no ar’. Rafael Vicente incorpora os conceitos da precariedade e do provisório e com eles constrói uma contundente metáfora do mundo em que vivemos” declara o curador Marcus Lontra.




As obras do artista também estarão expostas no estande da Almacen Thebaldi na ART RIO de 29/9 a 2/10 .














O vôo do Falcão
Rafael Vicente | pinturas
Curadoria Marcus de Lontra Costa
Inauguração dia 22 de setembro de 2016 às 17h
Visitaçao de 23 de setembro a 9 de outubro de 2016

Almacen Thebaldi  Galeria
Av. Ayrton Senna, 2150
CasaShopping - bloco G - lojas F e M
22775-900 - Rio de Janeiro | RJ
(21) 3325-3322 | 3325-8622 | Nextel 7857-9015
De segunda a sábado de 10h às 22h
Domingos e feriados de 15h as 21h


O vôo do Falcão 

(texto do curador Marcus de Lontra Costa)
Além daquilo que se vê, a pintura convida o homem a descobrir  o que há além da realidade, aquilo que supera o limite da matéria. Seja no enigmático sorriso de uma jovem mulher, seja na tênue linha entre civilização e barbárie de corpos masculinos numa frágil embarcação em meio ao mar revolto ou na insólita figura feminina desnuda numa inocente refeição sobre a relva, o tempo e a história acentuam o fato de que a pintura é um verdadeiro espelho do mundo tal qual é visto pelo homem, seus corpos e suas sombras, suas verdades e seus mistérios, a paisagem através da bruma, os limites delicados entre a realidade e o sonho. Por isso a pintura é muito mais que  matéria aderente a uma superfície, muito mais que a ação: ela é intenção e gesto, ela é  a perfeita metáfora do mundo visto, sentido, interpretado e apropriado por essa estranha e curiosa espécie de primata.

Pintar é, portanto, muito mais que um impulso ou mesmo um desafio. É um ato de coragem, enfrentar e confrontar-se  com a historia. Rafael Vicente mergulha nessa arena com a precisão da flecha e a torção do arco; certeiro, cria estruturas e movimento, vôo do Falcão preciso na direção da presa e suave no retorno ao braço que o protege. Há, em todo esse cenário impactante criado pelo artista, a instância de algo que está além, que está por vir. A pintura, aqui, é o instante congelado de uma realidade em permanente movimento, frames, clicks, clocks, spots. Um corpo que cai, uma vertigem, um vôo, uma construção suspensa, um andaime, projeto, obra, construção. E pur si muove!

Na concisão cromática  de Rafael Vicente persiste uma sensível aproximação com a estética cinematográfica noir.  As ações partem de um determinado ponto e se projetam em perspectivas que ultrapassam os limites da tela e envolvem o espectador. Essa é a estranha beleza dessa tensa atmosfera na qual tudo parece abismar-se. Nada é definitivo, verdades e mentiras, sujeito e objeto de uma oração em dialética,“tudo que é sólido desmancha no ar”. Rafael Vicente incorpora os conceitos da precariedade e do provisório e com eles constrói uma contundente metáfora do mundo em que vivemos.
           
É preciso se habituar com a arte na qual não há mais pintura para depois se habituar com a pintura que subsiste em qualquer produto artístico. Essa afirmativa retumbante encontra eco e abrigo na epopéia de narrativa visual com a qual Rafael Vicente estabelece suas referências estéticas que caminham pelo romantismo, simbolismo, pelo futurismo e mais recentemente com a operística impactante de Anselm Kiefer. E, assim,enquanto  a potência das imagens criadas pelo artista invadiam as nossas retinas, as flechas e falcões cruzavam os céus e “caía a tarde feito um viaduto” a gente segue caminhando pela cidade e suas construções, algumas vezes morrendo na contramão, outras vezes viajando feliz na certeza de que a arte ilumina a escuridão, encantamento e transcendência.
Marcus de Lontra Costa

Sobre o artista:
Vive e Trabalha no Rio de Janeiro onde possui um atelier na antiga Fabrica Bhering.
Bacharel em Pintura pela Escola de Belas Artes da UFRJ, Rio de Janeiro.
Frequentou o curso de Análise e inserção na produção contemporânea com Iole de Freitas EAV, Parque Lage, Rio de Janeiro e fez cursos teóricos com Agnaldo Farias, Fabiana de Moraes e Suzi Coralli.
É representado pelas galerias: Almacen Thebaldi Galeria, RJ; Orlando Lemos Galeria de Arte Contemporânea – BHPaulo Darze Galeria de Arte – BA;
Faz parte da plataforma Artmazone – Paris



Projetos Recentes:
Residência Artística – Art| Sen´sArtLab Paris – Curadoria Fabiana de Moraes
Residência Artística – Phenix Art Contemporany – Phenix – EUA;
ARTRIO Fair 2016- Feira Internacional de Arte Contemporânea – pinturas com a Galeria Almacen Thebaldi 

Principais Exposições Individuais
2016 O voo do Falcão - Almacen Thebaldi Galeria, RJ Curadoria Marcus Lontra.
2014 Contrespaces| Contraespaços - Le Pavê D’Órsay – Paris Curadoria Fabiana de Moraes
2013 Numa perspectiva da Vertigem - Sergio Gonçalves Galeria RJ Curadora – Fabiana de Moraes
2009 Casa Brasil – Galeria Principal – Madrid, Espanha. - Casa de Cultura – Plaza Del Trigo – 
          Aranda de Duero, Espanha.
2004 Centro Cultural Cândido Mendes, Grande Galeria, RJ.
2003 Centro Cultural IBEU Copacabana, RJ
2002 Centro Cultural Paschoal Carlos Magno, Niterói, RJ.

Principais Exposições Coletivas:
2016 Espaço És uma Maluca – Bob N, Rafael Alonso, João Magalhaes, Marcos Cardoso e Álvaro Seixas – Curadoria BOB N; Salve Jorge edição Laurinda Santos Lobo – Curadoria Raimundo        Rodriguez, Rio de Janeiro  Openning -Orlando Lemos Galeria - MG
2015 ARTIGO rio feira de arte contemporânea. - RJ Coleta- Orlando Lemos Galeria – MG ;
2014 Contrespaces – Les Berges – Paris Curadoria Fabiana de Moraes
2013 Sergio Gonçalves Galeria – Salve Jorge 5ª edição, Rio de JaneiroProjeto PIU-Pequenas Intervenções Urbanas - RJ
2012 ARTIGO - RIO feira de arte contemporânea. ; 2010Intervenção Urbana – Vídeo, Graffiti e
performance; postes, asfalto e fachadas; 2008 ShainGallery, NC JeuneCréationContemporaine, Nerret, Paris; 2007 “70 artistas”, Centro Cultural IBEU Copacabana, RJ
2006 MUVART, Bienal Internacional de Moçambique, Maputo, África “Faixa Seletiva” Centro Cultural.
Paschoal Carlos Magno, Niterói, RJ“Assentamento”, Centro Cultural Paschoal Carlos Magno, Niterói, RJ -MARP Museu de Arte de Ribeirão Preto, SP ;
2004 -“Atos Pictóricos” Centro 
Cultural Paschoal Carlos Magno, Niterói, RJ; MARP Museu de Arte de Ribeirão Preto, Ribeirão
 Preto, SP
2003 Novíssimos Centro Cultural IBEU Copacabana, RJ Sete Essências para Híbrido de hoje, Conjunto Cultural da Caixa, Grande Galeria, RJ
2002 Arte Hoje MAC Museu de arte Contemporânea de Niterói, RJ
2001 Núcleo de Arte Contemporânea, Fundação Cultural de João Pessoa. FUNJOPE, Paraíba PB
1999 Museu Heineken, Exposição “Prêmio Heineken de novos talentos” Amsterdam, HolandaMuseu da República – Exposição “Prêmio Heineken de novos talentos”, Rio de Janeiro, RJ.
Principais Prêmios, Indicações e Residência Artística:
Residência Artística em Paris pela plataforma Sens´artlab|... |  Curadoria Fabiana de Moraes
Artista Revelação Artigo Rio – Residência Artística Phenix - Curadoria Nara Reis, Nuno Ribeiro e Marcus Lontra
Bienal Internacional de Moçam Bique, Maputo Moçambique
Marp, Museu De Arte De Ribeirão Preto | SP
Prêmio IBEU de Artes Plásticas; Exposição Do Ano, Centro Cultural IBEU, RJ.
Novíssimos 2003, Centro Cultural IBEU, RJ – melhor artista
IX Salão De Arte Contemporânea De João, Pessoa-Paraíba
Prêmio Heineken Novos Talentos, Museu da República – RJ··.

Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now