quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Octávio Araujo: Alquímicas e Gravura Curadoria: Maria do Céu


“cAsA – OBRAS SOBRE PAPEL” TRAZ SEGUNDO EVENTO DO PROJETO “IMAGENS ALQUÍMICAS”, COM EXIBIÇÃO DO LONGA ARMÊNIO “A COR DA ROMÔ
DIA 19 DE AGOSTO, A PARTIR DAS 19H30

Ao longo da exposição “Octávio Araújo: Alquimia & Gravura”, a cAsA – Obras Sobre Papel preparou uma série de eventos que dialogam com a mostra, o projeto “Imagens Alquímicas”. Nesta sexta-feira (19), às 19h30 a curadora Maria do Céu Diel intermedeia a exibição do exibição do filme ACor da Romã de Serguei Paradjanov. A entrada é franca, mediante inscrição prévia (contato@obrassobrepapel.com.br).
O filme mostra a vida, a arte e as ideias do trovador armênio do século XVIII Harutyun Sayatyan, conhecido como Sayat Nova. Uma abordagem lírica de toda a trajetória do poeta, desde a infância até a morte, que ocorreu em um mosteiro.
Maria do Céu faz comentários antes da sessão. “Trata-se de um longa do cinema armênio, que mostra a vida de um poeta e os objetos de cena são os próprios amigos dele, não atores. Ele fala de emblema, assim como a obra do Octávio”, conta.
O último evento da série acontece dia 26 de agosto, com a palestra "Livros Místicos, Emblemas e Alquimia", com Javier Ruiz Sierra, Diretor do Instituto Cervantes em Belo Horizonte.

SERVIÇO
“Imagens Alquímicas”
Data/horário: dia 19 de agosto, às 19h30
Local: cAsA – Obras Sobre Papel (Avenida Brasil, n° 75).
Informações: (31) 2534-0899

Sobre a exposição "Octávio Araújo: Alquimia & Gravura"
A obra de Octávio Araújo e todas as suas facetas está em exposição na cAsA – Obras Sobre Papel, na mostra "Octávio Araújo: Alquimia & Gravura", até o dia 30 de dezembro.
Com curadoria de Maria do Céu Diel, a individual reúne mais de 20 gravuras produzidas pelo artista na década de 70, a maior parte litogravura. “São alegorias quando assumem um sistema retórico de superação da linguagem, ressignificando uma ideia abstrata através da convivência entre as formas. São alegóricas as figuras, quando seus atributos fundem sentidos, por proximidade ou por sugestão”, define a curadora.
“Octávio Araújo, em sua generosidade, deixa-nos vislumbrar, através da quarta parede de suas gravuras, um átimo destes lugares da memória, na qual somos convidados a habitar enquanto durar o tempo da contemplação”, finaliza.







Sobre a curadora Maria do Céu
É graduada em Educação Artística (1989), Mestre em Educação (1996) e Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2000). Atualmente é Professora Associada II do departamento de desenho da Escola de Belas Artes, do qual foi chefe entre 2008 e 2010. Tem experiência na área de artes, com ênfase em gravura e desenho.
Realizou estudos pós-doutorais concomitantes na UNICAMP, junto ao Laboratório de Estudos Audiovisuais OLHO e na Universtá degli Studi di L´Aquila, no Dipartamento di Culture Comparate. Coordena o LINHA: grupo de pesquisa sobre o desenho e a palavra, sediado na EBA-UFMG. Foi bolsista da Fundación Carolina para desenvolver sua pesquisa sobre Tipografia e Arquitetura junto à Universidad de Granada. É professora participante do programa de pós-graduação em educação na FE-UNICAMP. Foi professora residente do Instituto de Estudos Avançados Transdisciplinares – IEAT, da UFMG. Coordena o projeto de pesquisa financiado pela FAPEMIG – Máquinas para pensar.

Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now