sábado, 9 de janeiro de 2016

Vamos Comer as Coisas do Mundo. Curadoria Lucia Avancini







SERVIÇO:
Inauguração dia 22 de janeiro de 2016
(único dia para visitação)
Horário: das 18h às 21h.
Local: Castelinho do Flamengo - Rua Dois de Dezembro, 158 - Flamengo, Rio de Janeiro.
A exposição continua online até dia 22 de março no site: www.eixoarte.com.br

RELEASE:
A sétima exposição da Galeria Virtual EIXO e a convite da curadora Lúcia Avancini, 16 artistas criam uma obra dentro do conceito proposto para esta exposição -  VAMOS COMER AS COISAS DO MUNDO.

Cada artista trabalhará respeitando sua linguagem, materiais e suporte individuais garantindo a riqueza e a diversidade da mostra.

O acervo do evento poderá ser constituído de obras bi e tridimensional, vídeos, instalações e    intervenções verbais, sonoras, corporais, etc.

Artistas convidados:
ALETEIA DANELUZ
ALEXANDRE DACOSTA
ALEXANDRE MURUCCI
CARLOS CESÁRIO
CHRISTINA AMARAL
EDUARDO MARIZ
GILDA SANTIAGO
ISABEL LÖFGREN
LAURA BONFÁ BURNIER
LUCIA AVANCINI
LUCIO VOLPINI
MARIANA STARLING
MARILOU WINOGRAD
MIRIAM PECH
PAPAIMAGEM
RICARDO SIMÕES


Cristina Amaral.


Mailou Vinogard





Texto Curatorial:


VAMOS COMER AS COISAS DO MUNDO
Comer o mundo é apoderar-se dele. Comer o mundo é provocar, é recusar a imobilidade. O mundo se desfaz, esvai-se diante da nossa gula. Gula dos que têm pressa, dos que clamam por mudança, dos que querem revirar, sacudir, explodir. Uma explosão para exterminar a imobilidade. Um grito de angústia contra o horror civilizatório. Um pedido de socorro, um grito de alerta.
Somos todos coisas do mundo. Comer o mundo é estar disponível para ser coisificado, tocar e ser tocado, se tornar objeto ativo ou passivo desse ato. É estar preparado para abaporuar e ser abaporuado pelo o mundo. Um gesto antropófago para expulsar as incertezas, sacudir as certezas e criar novos desequilíbrios.
Nessa aventura proposta, o artista despe-se de seus medos e tabus para, em um processo libertário, tornar-se o fio condutor da sua percepção, consciente ou inconsciente, da realidade que o cerca.  A proposta de abocanhar algo ou mesmo a si próprio oferece ao artista a totalidade das coisas.  Tudo é possível.  A ele compete decidir. A ele é dado o absoluto.
No mundo contemporâneo, o acontecimento da onipresença virtual estimula a gula pelo mundo. A arte é a boca que engole e vomita o mundo.
Para Heidegger o poder da arte está no estranhamento com o estabelecido. No desvelamento da verdade sem necessidade de adequação com o seu entorno.
A arte abala o mundo. Vamos abalar o mundo.
Dezesseis artistas convidados. Diferentes linguagens, materiais e suportes – fotografia, arte digital, desenho, objeto, vídeo arte, intervenção sonora. Uma mostra para pensar.
Vamos comer as coisas do mundo.
Curadoria
Lúcia Avancini
2015





Sandra Tavares | vendas
98767 7244
Sara Figueiredo |  Exposições
99118 1006

Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now