terça-feira, 9 de junho de 2015

Curso de História da Arte Studio 512 Jardim Botânico

 Studio 512 
Inforrmações contatos@studio.com.br
Rua  Jardim Botânico 512 22748049



Junho
Segundas feiras - Turno tarde  (16:30 as 18:30)  - Arte Contemporânea. 
8 de junho
15 de junho
22 de junho 
29 de junho
4 aulas
 Arte contemporânea – O curso tem como objetivo o estudo da arte contemporânea; aquela que se inicia com o retorno à narrativa da Pop Art , bem como o Minimalismo, Arte Povera, Performance, Body Art,  Arte Conceitual, Grupo Fluxus e outros movimentos assim como obras de artistas que não se filiaram a qualquer movimento. Dessa forma , o  curso visa oferecer um panorama geral das principais questões que perpassam a arte contemporânea. Tendências que inauguram novas  concepções e possibilidades para a arte. A ampliação de  opções instaura novos questionamentos. A arte deixa de discutir apenas a forma e o conteúdo assume um papel relevante na produção artística.  A questão da invasão da imagem e da extrema valorização da importância das ideias também serão abordadas no curso. Da passagem da arte moderna para a arte contemporânea , diferenças fundamentais se colocam na arte e na poéticas dos artistas;  o curso pretende discutir os pressupostos da contemporaneidade como por exemplo a importância do conteúdo , a contaminação da arte pelo mundo, a participação do espectador na fruição da obra. Serão apresentadas projeções com imagens das obras para uma discussão mais clara dos temas a ser discutidos. O curso oferece um quadro geral dessas questões que permeiam a arte contemporânea e através de imagens,  as aulas buscam traçar perspectivas históricas e teóricas, com análise de questões gerais e obras individuais.
Pop Art
Minimalismo
Arte Povera
Performance
Body Art
Arte Conceitual anos 70
Grupo Fluxus
Nouveau Realisme
Hiperrealismo
New British Sculpture
Grafiiti Art
Instalação
e artistas com obras individuais; não ligadas a movimentos

Junho
Segundas feiras - Turno noite ( 19:30 as 21:30 )  - Movimentos da arte do Século XIX
15 de junho
22 de junho 
29 de junho
3 aulas
 O curso oferece um panorama dos principais movimentos do século XIX; tais como o Romantismo e Neo-Classicismo, Realismo, Simbolismo, Pré-Rafaelismo na Inglaterra, Impressionismo e Pós-Impressionismo, Art Nouveau,Pont-Aven, Nabis, Secessão Austríaca com Klimt. Serão abordadas as obras de Turner, Constable, Blake e Whistler na Inglaterra ,Goya na Espanha,  Caspar David Friedrich na Alemanha, Rodin na França.
Cada movimento e cada artista levanta questões que permeiam a arte no século XIX ; século marcado por importantes transformações da sociedade que se torna uma sociedade avançada, burguesa e industrial.  Utilizando projeções e textos, as aulas pretendem traçar perspectivas históricas e teóricas, com análise de questões gerais e obras individuais. As diferentes propostas artísticas , a expansão dos temas da arte ,as discussões sobre a modernidade e suas consequências na vida do homem, o surgimento de museus, galerias e a figura do crítico de arte que passa a ser necessária para a intermediação entre a produção artística e o público serão também questões discutidas. Essas mudanças que se iniciam com a introdução de novos temas na arte e novos questionamentos  conduzem a arte para a discussão das questões da arte moderna no século XX.


Romantismo: Ingres
Neo-Classicismo: Delacroix
Realismo: Courbet
Simbolismo:Gustave Moreau
Impressionismo: Monet, Degas
Pós- Impressionismo: Cèzanne
Art Nouveau na França, Brasil e outros países
Turner
Rodin
Goya
Whistler

Agosto 
Segundas feiras - Turno tarde  (16:30 as 18:30)  - Renascimento.
3 de agosto
10 de agosto
17 de agosto
24 de agosto 
31 de agosto 
5 aulas
O curso irá abordar a transição da pintura gótica no final da Idade Média para o Renascimento. Trata-se de discutir as principais questões da pintura medieval e as mudanças que ocorreram a partir ,principalmente , de Giotto no século XIV. O Renascimento operou rupturas com as regras do passado na História da Arte  com a invenção da perspectiva, a ideia do quadro como “janela” para o mundo que tem a ver com a ideia de representar a realidade do mundo em um superfície bidimensional.  Alberti escreve sobre a perspectiva linear  e a “janela renascentista” ; nova forma de organizar uma composição  pictórica; o pensamento e consequente rigor de composição da pintura do Renascimento irá se tornar paradigma da pintura até o século XX. A retomada dos valores do mundo Greco-romano , o humanismo que é o estudo do pensamento clássico , o papel do artista como intelectual e não como artesão,o crescimento das cidades e da burguesia, os novos horizontes intelectuais  irão permear toda a vida da sociedade no Renascimento permitindo a invenção do pensamento moderno.
O estudo dessas  questões do Renascimento são determinantes para o entendimento do pensamento moderno que é fundamental para o desenvolvimento da História da Arte no Ocidente.
Serão analisadas obras de Giotto, Leonardo da Vinci, Rafael, Michelangelo e muitos outros artistas de importante contribuição para  momento de radical importância na História da Arte. Momento de ruptura e instauração de um novo modelo de conhecimento para  sociedade do Ocidente.

Agosto
Segundas feiras - Turno Noite  (19:30 as 21:30) - Maneirismo, Barroco e Rococó.
3 de agosto
10 de agosto
17 de agosto
24 de agosto 
31 de agosto 
5 aulas
 O curso irá apresentar um panorama do Maneirismo, Barroco e Rococó abordando suas diferenças formais e períodos históricos.
No Maneirismo, logo após o Renascimento ;acontece um rompimento com certas regras do Renascimento e a produção dos artistas é mais expressiva e por vezes, dramática.  A palavra maneirismo causa perturbação,mas efetivamente está ligada a uma arte em que acontece a “maneira “do artista, uma necessidade interior do artista de apresentar obras com características individuais,marcantes, sem pretender a perfeição. Existe uma tensão entre o clássico e anti-clássico. Existe uma inclinação espiritual e as vezes uma inclinação mundana. Para tal compreensão, é necessário estudar as obras de  artistas como El Greco, com forte tendência espiritual e Bronzino,que se opõe a essa tendência. A projeção de imagens no curso visa esclarecer visualmente essas diferenças formais.
O Barroco se identifica e tem uma forte relação com a Contra- Reforma; arte do claro e escuro, arte que dramatiza, arte que impressiona e comove, arte que expressa grandeza, arte , que conta com artistas de produções muito diversas. As poéticas barrocas valorizam a representação clássica,mas o objetivo da representação é persuadir.O artista ultrapassa limites, lida com a imaginação, quer permitir que algo irreal possa se tornar realidade. É a arte da persuasão e de representar com verossimilhança as visões da imaginação. Também serão apresentados slides para a melhor compreensão teórica dessas questões.
O curso irá apresentar imagens de obras do Rococó; momento em que as monarquias e cortes européias atingiram o auge de seu poder. A frivolidade e tranquilidade dessas cortes costumam ser o tema das obras dos artistas desse período. Arte que precede a Revolução Francesa. Serão apresentadas imagens dessas obras.
Setembro 
Segundas feiras - Turno tarde  (16:30 as 18:30)  - Antiguidade Oriental e Ocidental
14 de setembro
21 de setembro
28 de setembro
3 aulas
O curso irá apresentar um quadro geral das principais questões da arte na Antiguidade Oriental e da arte no mundo grego e no mundo romano.
Na Antiguidade Oriental, o objetivo do curso é abordar a arte no Egito, Creta e Mesopotâmia e comentar as  diferenças formais entre as produções artísticas dessas civilizações dentro de seus respectivos contextos históricos.
O curso irá abordar a arte na Grécia onde a arte  teve papel fundamental para a tradição do Ocidente; apresentando imagens de suas esculturas e da arquitetura na Grécia  para enfatizar visualmente as questões discutidas no campo teórico.
A arte produzida em Roma com suas inovações no urbanismo, arquitetura , retratos realistas será estudada e também serão apresentadas imagens das obras mencionadas para a compreensão da importância dessas inovações no mundo ocidental.
Será importante analisar como somos herdeiros da tradição clássica, seja na filosofia, na política, no teatro , nas artes visuais.
O mundo greco-romano é a base para a formação do pensamento do homem no Ocidente.

Setembro
Segundas feiras - Turno Noite  (19:30 as 21:30) - Arte no Brasil 
14 de setembro
21 de setembro
28 de setembro
3 aulas
O objetivo do curso é traçar um panorama da arte no Brasil atual, localizando os pressupostos que orientam os artistas atuais. Buscar as fontes onde foram buscar soluções. O curso irá partir da produção atual ao passado, de modo a compreender o desenvolvimento e a inserção da arte do Brasil no panorama internacional. Serão analisadas as obras de artistas contemporâneos e também de artistas como Waldemar Cordeiro, Lygia Clark, Helio Oiticica e muitos outros que contribuíram para que a arte no Brasil se inserisse de modo pertinente e definitivo no cenário internacional das artes visuais.
Waldemar Cordeiro
Lygia Clark
Lygia Pape
Helio Oiticica
Antonio Dias
Carlos Vergara
Waltercio Caldas
Tunga
Adriana Varejão
José Resende
Cildo Meirelles
Vik Muniz
E muitos outros

Outubro
Segundas feiras - Turno tarde  (16:30 as 18:30)  -  Maneirismo, Barroco e Rococó
5 de outubro
19 de outubro
26 de outubro
3 aulas
 O curso irá apresentar um panorama do Maneirismo, Barroco e Rococó abordando suas diferenças formais e períodos históricos.
No Maneirismo, logo após o Renascimento ;acontece um rompimento com certas regras do Renascimento e a produção dos artistas é mais expressiva e por vezes, dramática.  A palavra maneirismo causa perturbação,mas efetivamente está ligada a uma arte em que acontece a “maneira “do artista, uma necessidade interior do artista de apresentar obras com características individuais,marcantes, sem pretender a perfeição. Existe uma tensão entre o clássico e anti-clássico. Existe uma inclinação espiritual e as vezes uma inclinação mundana. Para tal compreensão, é necessário estudar as obras de  artistas como El Greco, com forte tendência espiritual e Bronzino,que se opõe a essa tendência. A projeção de imagens no curso visa esclarecer visualmente essas diferenças formais.

O Barroco se identifica e tem uma forte relação com a Contra- Reforma; arte do claro e escuro, arte que dramatiza, arte que impressiona e comove, arte que expressa grandeza, arte , que conta com artistas de produções muito diversas. As poéticas barrocas valorizam a representação clássica,mas o objetivo da representação é persuadir.O artista ultrapassa limites, lida com a imaginação, quer permitir que algo irreal possa se tornar realidade. É a arte da persuasão e de representar com verossimilhança as visões da imaginação. Também serão apresentados slides para a melhor compreensão teórica dessas questões.
O curso irá apresentar imagens de obras do Rococó; momento em que as monarquias e cortes europeias atingiram o auge de seu poder. A frivolidade e tranquilidade dessas cortes costumam ser o tema das obras dos artistas desse período. Arte que precede a Revolução Francesa. Serão apresentadas imagens dessas obras.

Outubro
Segundas feiras - Turno Noite  (19:30 as 21:30) -  Antiguidade Oriental e Ocidental
5 de outubro
19 de outubro
26 de outubro 
3 aulas
O curso irá apresentar um quadro geral das principais questões da arte na Antiguidade Oriental e da arte no mundo grego e no mundo romano.
Na Antiguidade Oriental, o objetivo do curso é abordar a arte no Egito, Creta e Mesopotâmia e comentar as  diferenças formais entre as produções artísticas dessas civilizações dentro de seus respectivos contextos históricos.
O curso irá abordar a arte na Grécia onde a arte  teve papel fundamental para a tradição do Ocidente; apresentando imagens de suas esculturas e da arquitetura na Grécia  para enfatizar visualmente as questões discutidas no campo teórico.
A arte produzida em Roma com suas inovações no urbanismo, arquitetura , retratos realistas será estudada e também serão apresentadas imagens das obras mencionadas para a compreensão da importância dessas inovações no mundo ocidental.
Será importante analisar como somos herdeiros da tradição clássica, seja na filosofia, na política, no teatro , nas artes visuais.
O mundo greco-romano é a base para a formação do pensamento do homem no Ocidente.
 Novembro 
Segundas feiras - Turno tarde  (16:30 as 18:30)  -  Arte no Brasil 
9 de novembro
16 de novembro
23 de novembro
30 de novembro 
4 aulas
 O objetivo do curso é traçar um panorama da arte no Brasil atual, localizando os pressupostos que orientam os artistas atuais. Buscar as fontes onde foram buscar soluções. O curso irá partir da produção atual ao passado, de modo a compreender o desenvolvimento e a inserção da arte do Brasil no panorama internacional. Serão analisadas as obras de artistas contemporâneos e também de artistas como Waldemar Cordeiro, Lygia Clark, Helio Oiticica e muitos outros que contribuíram para que a arte no Brasil se inserisse de modo pertinente e definitivo no cenário internacional das artes visuais.

Waldemar Cordeiro
Lygia Clark
Lygia Pape
Helio Oiticica
Antonio Dias
Carlos Vergara
Waltercio Caldas
Tunga
Adriana Varejão
José Resende
Cildo Meirelles
Vik Muniz
E muitos outros


Novembro
Segundas feiras - Turno Noite  (19:30 as 21:30) -  Renascimento
9 de novembro
16 de novembro
23 de novembro
30 de novembro 
4 aulas
 O curso irá abordar a transição da pintura gótica no final da Idade Média para o Renascimento. Trata-se de discutir as principais questões da pintura medieval e as mudanças que ocorreram a partir ,principalmente , de Giotto no século XIV. O Renascimento operou rupturas com as regras do passado na História da Arte  com a invenção da perspectiva, a ideia do quadro como “janela” para o mundo que tem a ver com a ideia de representar a realidade do mundo em um superfície bidimensional.  Alberti escreve sobre a perspectiva linear  e a “janela renascentista” ; nova forma de organizar uma composição  pictórica; o pensamento e consequente rigor de composição da pintura do Renascimento irá se tornar paradigma da pintura até o século XX. A retomada dos valores do mundo Greco-romano , o humanismo que é o estudo do pensamento clássico , o papel do artista como intelectual e não como artesão,o crescimento das cidades e da burguesia, os novos horizontes intelectuais  irão permear toda a vida da sociedade no Renascimento permitindo a invenção do pensamento moderno.
O estudo dessas  questões do Renascimento são determinantes para o entendimento do pensamento moderno que é fundamental para o desenvolvimento da História da Arte no Ocidente.
Serão analisadas obras de Giotto, Leonardo da Vinci, Rafael, Michelangelo e muitos outros artistas de importante contribuição para  momento de radical importância na História da Arte.






Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now