sábado, 14 de fevereiro de 2015

O Estranhamento, Segundo Três Artistas Visuais C.C. Justiça Federal


O ESTRANHAMENTO, SEGUNDO TRÊS ARTISTAS VISUAIS


Com curadoria de Isabel Portella, o Centro Cultural Justiça Federal apresenta exposição onde três artistas visuais, em diferentes meios, tratam o tema do “Estranhamento”: Arthur Arnold (pintura), Jozias Benedicto (vídeos e fotografia) e Ursula Tautz (fotografias e projeção de vídeos)

A partir de uma frase de Sigmund Freud sobre o efeito de estranheza inquietante que se dá em relação ao que é, ao mesmo tempo, familiar e estranho, a curadora Isabel Portella convidou três artistas do cenário contemporâneo carioca (Arthur Arnold, Jozias Benedicto e Ursula Tautz), de poéticas diferentes, para pensarem sobre esse “estranhamento” e desenvolverem trabalhos especialmente para esta exposição, que tem inauguração no dia 26 de fevereiro de 2015 a partir das 19h, no Centro Cultural Justiça Federal, no Centro do Rio.

Freud cita Schelling, importante filósofo alemão do século XIX, que afirmou que o “unheimliche seria tudo o que deveria permanecer secreto, oculto, mas apareceu”.

Ao propor a exposição a partir de uma frase, a curadora quis provocar nos artistas — Artur Arnold, Jozias Benedicto e Ursula Tautz — um estímulo para a produção de novas/outras obras. O estranhamento de algo familiar pode estar em qualquer um e/ou em qualquer lugar, como se estivéssemos em um pêndulo que não nos permite discernir bem o que está acontecendo. Os artistas atenderam ao desafio da curadora e realizaram suas obras marcados por esse tipo de experiência em que o familiar se torna estranho e o estranho é familiar:

Arthur Arnold apresenta pinturas com narrativas figurativas de questões vivenciadas pelo artista no seu dia a dia. Com uma dose de humor, sarcasmo e até perversidade, observações e preocupações são transformadas em narrativas.  Porém, ao contrário das narrativas sequenciais como as dos livros e estórias, o tempo não se faz presente. Com o uso de metáforas visuais, o artista aborda os temas de forma indireta, gerando muitas vezes mais de uma interpretação para o quadro. O artista procura resolver cada tema em um único trabalho, que juntos formam um conjunto de obras, mas não uma série.

A proposta de Jozias Benedicto é a fusão de artes visuais com a literatura e o teatro, em seu vídeo "A Perseguição", feito em parceria com a atriz e diretora de teatro Ana Kfouri e a artista e poeta visual Helena Trindade. Avançando no conceito de objeto de arte híbrido, as ilustrações de seu livro de contos "Estranhas criaturas noturnas", lançado em 2013, "saltam" do livro e se tornam obras de arte autônomas; e o livro deixa de ser apenas um objeto-livro para ser um objeto de artes visuais que rompe com as barreiras dos gêneros na arte.

Já Ursula Tautz apresenta fotografias, vídeos e uma instalação. Pesquisando as relações que envolvem o habitar, o pertencer, a artista utiliza a (re)significação do espaço para o desenvolvimento de suas questão: esta inquietação, este certo mal-estar permanente. Esta condição pós-moderna de ser estrangeiro na própria terra, estranho familiar. A série de fotografias foi desenvolvida na cidade de Ołdrzychowice Kłodzkie, Polônia, antiga Ullersdorf an der Biele, local de origem de sua família. São 5 fotografias manipuladas digitalmente, impressas em papel algodão sobre PVC nas dimensões 80 x 1,42cm, uma exposta na galeria E1 e quatro expostas lado a lado na parede da galeria D1 do CCJF, além de uma projeção em looping na parede em frente. Nestas apreensões, em posição fetal e de vermelho, a artista atua como personagem para se fundir à paisagem e à arquitetura. Após o registro, Ursula sobrepõe duas ou mais fotos, criando um duplo dela mesma e (re)significando o espaço fotografado, na tentativa de criar um lugar para pertencer, sem na verdade pertencer a lugar algum.

Arthur Arnold é representado no Rio de Janeiro pela Galeria Movimento, onde realizou duas exposições individuais, e foi recentemente selecionado para participar da nona edição da residência artística Red Bull Station, em um prédio histórico localizado no Centro de São Paulo. Fez também duas exposições individuais em Weimar (Alemanha) Em 2013 teve uma pintura premiada no III Concurso de Arte Contemporânea do Itamaraty (Brasília).

Jozias Benedicto é artista plástico e escritor, já com três exposições individuais, a mais recente na Galeria do Lago do Museu da República (Rio), em 2013. Participou da XVI Bienal de São Paulo, com "mail-art". Seu livro de contos "Estranhas criaturas noturnas" foi finalista do Concurso SESC de Literatura 2012/2013.

Ursula Tautz trabalha com fotografia, vídeo e instalações. Participou de diversas exposições coletivas no Rio de Janeiro e fez uma exposição individual, “Aquilo que nos cabe daquilo que nos resta”, Escola Alemã Corcovado, no Rio de Janeiro, em 2007, onde apresentou uma instalaçãosite-specificÉ representada no Rio de Janeiro pelo Escritório de Arte Martha Pagy.

A exposição Estranhamentos no Centro Cultural Justiça Federal fica em cartaz de 27 de fevereiro de 2015 até o dia 12 de abril e tem entrada franca.


Arthur Arnold  Fuck You Damien.


Arthur Arnold  O Queijo dos Almeida de Albuquerque.


Arthur Arnold  Primeiro Eu.


 Jozias Benedicto. Vídeo.


Jozias Benedicto. Vídeo.


Jozias Benedicto. Vídeo.


Ursula Tautz. Fotografia.



 Ursula Tautz. Fotografia



Ursula Tautz. Fotografia.



 Isabel Portella, curadora e o artista Jozias Benedicto.


Ursula Tautz.


Arthur Arnold.


SERVIÇO
Estranhamentos – Arthur Arnold, Jozias Benedicto e Ursula Tautz
Centro Cultural da Justiça Federal
Av. Rio Branco, 241, Centro, Rio de Janeiro
Abertura: 26 de fevereiro de 2015, 19h
Em cartaz de 27 de fevereiro a 12 de abril de 2015
Horário de funcionamento: terça a domingo das 12:00 às 19:00h
Visita orientada pela curadora e artistas e lançamento do catálogo: 26 de março de 2015 às 17h





Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now