sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Conversando sobre Arte entrevistada a artista Maria Schimpf.






 Quem é Mara Schimpf ? 
 Nasci em 1966 na cidade de São Paulo, onde moro até hoje. Sou casada, tenho dois filhos e três netos.
 Sempre tive meu atelier em casa, onde passo a maior parte do meu tempo. Trabalho também fotografando nas ruas de São Paulo, viajando para outros lugares e outros países. No dia a dia estou sempre disponível para contemplar pequenos detalhes da vida que inspirem arte.

Quando criança, na casa em que eu morava com minha família, tínhamos uma vizinha que era professora de artes. Nas férias, como minha mãe trabalhava, esta vizinha passava algumas horas comigo e minhas irmãs desenhando e pintando.

Essas eram minhas férias preferidas! Já no Ensino fundamental, eu esperava ansiosamente pela sexta-feira pois era o dia da aula de artes. Desde então eu já tinha uma grande paixão mas até eu descobrir que isto poderia ser minha profissão demorou ainda muito tempo.

Aos 12 anos, tive meu primeiro contato com a fotografia através do pai de uma amiga; me lembro até hoje da emoção que senti em seu laboratório fotográfico quando as imagens captadas por sua câmera começaram a surgir como mágica, naquelas bacias com líquidos estranhos. Fiquei completamente apaixonada por todo o processo. Aos 14 anos ganhei de presente a primeira câmera e já revelava e ampliava minhas próprias fotos em casa.

Fiz faculdade de Comunicação Visual na FAAP, mas nessa época eu já tinha dois bebês e meus estudos ficaram para um segundo plano. A carreira de artista parecia cada vez mais impossível.

Consegui retomar anos mais tarde quando voltei a pintar em cursos livres no atelier da artista Silvia Alves. Em seguida frequentei as aulas do pintor Paulo Pasta e fiz o curso de história da arte do Rodrigo Naves. Neste momento comecei entender o que era realmente ser um artista e tudo o que arte significava ou poderia significar.


Quando eu estava com quase 40 anos, conheci o grupo Dynamic Encounters e considero que a mais importante parte da minha formação e conhecimento de arte veio das viagens que fiz com o Charles Watson e o grupo de excelentes professores que o acompanham como Frederico Carvalho, Agnaldo Farias, Jailton Moreira, Fernando Cocchiarale e muitos outros. 


Atualmente trabalho muito com fotografia mas, mesmo sendo outro suporte, não pretendo dissocia-la da pintura e do desenho. O meu processo de trabalho é lento e se dá em etapas, podendo levar anos até finalizar um trabalho.

A câmera na mão me deixa sempre atenta e curiosa assim, qualquer assunto pode me interessar; sem ter necessariamente um projeto definido, vou descobrindo e fotografando aos poucos as sutilezas do nosso mundo. Já no meu atelier inicio uma minuciosa seleção em meu acervo de fotografias. Busco conjuntos de imagens que se relacionem por suas características formais, cromáticas e/ou contextuais.

Através deste tipo de organização encontro novas relações que nos fazem parar e refletir. Cada fotografia é um instrumento e não a obra em si pois meu interesse está na criação de uma nova imagem e/ou sensação que pode se formar a partir dessas relações.

Que artistas influenciam em sua obra?
 São tantos e o tempo todo, mas não posso deixar de falar do Édouard Vuillard, Mark Rothko, Richard Diebenkorn, Giorgio Morandi, Lewis Baltz, Abbas Kiarostami, Jan Dibbets, Paulo Pasta, etc…

Como foi a experiência da sua participação no Salão de Piracicaba?
 A experiência de ver meus trabalhos expostos no Salão de Piracicaba foi muito boa pois além de ser um Salão bem organizado, é importante para o artista que o seu trabalho saia do atelier e chegue até as pessoas.
 Eu participei com três trabalhos, cada um composto por três fotografias dispostas uma sobre a outra, formando colagens digitais. A partir de fotos, cujos elementos principais são céu e mar, explorei algumas das possibilidades nas maneiras de agrupá-las, transformando a relação que se tem com a paisagem.

Por que o Rio e São Paulo estão tão longe? Por que existe tão pouco intercâmbio entre os artistas?
 Frequentei o grupo de estudos do Charles Watson e toda semana eu ia para o Rio de Janeiro. A maioria dos meus amigos artistas é do Rio e eu sinto que tem uma diferença bem grande em como as pessoas se relacionam lá e aqui. No Rio parece que você tem mais acesso ao outro, as pessoas se falam mais e se encontram mais.
 Sinto em São Paulo os artistas mais resguardados, talvez por ser uma cidade tão grande e tão difícil de se locomover as pessoas fiquem ainda mais isoladas.





































Currículo Resumido

Exposições

2014
·          46º Salão de Arte  Contemporânea de Piracicaba -Piracicaba, SP
2013
·          Programa de exposições MARP- 16ª Semana da Fotografia - Museu de Arte de Ribeirão Preto - Ribeirão Preto SP
·          Ressonâncias Brasil Berlim, Kunstlerhaus Bethanien - Berlim, Alemanha
2012
·          Exposição individual Nova Fotografia 2012, ”O Instante Expandido”-  Museu da Imagem e do Som (MIS) - São Paulo, SP
·          11º Bienal do Recôncavo - São Félix, BA
·          “Quase a última foto” - Exposição coletiva, Casa de Cultura Mário Quintana, Porto Alegre, RS
2010
·          Prêmio Aquisição no 38º Salão de Arte Contemporânea Luiz Sacilloto, - Santo André, SP
·           9º Salão Nacional de Arte - Jataí, GO
2009
·          15º Salão Unama de Pequenos Formatos - Belém, PA
2008
·          Programa de Exposições MARP - Exposição individual simultânea, Casa da Cultura de Ribeirão Preto, SP

Formação

2012
·          Histórias e discursos na arte atual: a narrativa após o conceitualismo com a artista e professora Maria Helena Bernardes
·          Atelier aberto com Jailton Moreira em Aparados da Serra, RS
2011    
·          Grupo de Estudos e Discussão de Projetos de Charles Watson
2010     
·          Acompanhamento de projetos com o artista Franz Manata
·          Procedência e Propriedade, workshop intensivo de desenho e conceitualização com professor Charles Watson
2009
·          Leitura de Portfólios com Agnaldo Farias e Dudi Maia Rosa
2008
·          Pintura e Reflexão com Paulo Pasta no Instituto Tomie Ohtake
·          Tempo e Pensamento, módulo 1, com Peter Pál Pelbart no Centro Cultural b_arco
2007
·          Workshop “O Processo Criativo” modulo I e II com Charles Watson no Instituto Tomie Ohtake
2006
·          Pintura e Reflexão com Paulo Pasta no Instituto Tomie Ohtake
·          História da Arte com Agnaldo Farias no Instituto Tomie Ohtake
1989
·          Graduação em Comunicação Visual na Faculdade Armando Álvares Penteado




Site: www.maraschimpf.com

Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now