segunda-feira, 21 de julho de 2014

Conversando sobre Arte entrevistada a artista Flavia Tronca





Como a arte entrou em sua vida?
A arte sempre esteve na minha vida, mesmo antes de eu saber dela.


Qual foi sua formação artística?
Artes Plásticas na Universidade de Caxias do Sul , RS.
Mestrado em Educação Estética na PUC, RS.
Outros diversos curso que aconteceram ao longo da vida.


É possível viver de arte no Brasil?
Sim. Se você acreditar em você e trabalhar muito.


O que é necessário para um artista ser representado por uma galeria?
Não acredito em galerias. Esta ideia de galeria está mudando muito rápido. Acredito que os artistas irão se reunir em grupos, ou individualmente e realizar o seu próprio espaço. Isto em função das comissões altas, mas também porque o público quer conversar e saber da arte e do artista pessoalmente.


O material nacional para pintura já tem qualidade adequada?
Cada vez mais,  num mundo globalizado isto já não importa mais. É fácil conseguir qualquer material, seja lá de onde vier.

A mulher e o homem já estão em igualdades de condições no mercado da arte.
Penso que esta questão não tem mais sentido, principalmente no Brasil onde as mulheres têm se destacado no País e fora também.


Quais são seus planos para o futuro?
Finalizar o meu catálogo, vencer em alguns editais e alcançar sempre o melhor.














Onde as ideias nascem...

Até há alguns anos, eu seguia buscando formas plasticamente interessantes para resolver as questões que me atraíam na pintura, interesses internos que reiniciavam sistematicamente e que não ficavam inteiramente resolvidos no caminho, sem resposta plástica satisfatória, numa espécie de experimentação necessária. Em 2003, conquistei a força e os instrumentos essenciais para entrar no universo do abstracionismo, ao desenvolver no meu ateliê a aplicação da tinta acrílica ao modo da pintura automotiva, agregando, anos depois, a desconstrução fotográfica e a utilização da luz através do cristal de acrílico. Toda a minha obra, mesmo nas colagens, continua centrada em processo muito racional. Mas a cada nova série ou temática, introduzo outros desafios, cobrando-me novas possibilidades.

Mesmo com o experimento de diversos meios, a pintura continua sendo o centro de minha arte. Porém, a partir de 2011 comecei a trabalhar com colagens sobre tela, em grandes formatos. Dois anos depois, a fotografia transformada em tinta e a luz passaram a fazer parte do meu exercício diário na pintura, que se alimenta de todos os outros processos e vice-versa. As mostras e os espaços para exposições vieram a acontecer.

Cada um desses instrumentos plásticos carrega em si questões próprias que abrigam sistemas variados e movem a estrutura, cor e sentido da obra com energia renovada. Em 2013 apresentei, no espaço cultural da Aliança Francesa em Florianópolis, a exposição individual “Atmophere”, com pinturas baseadas em cenários desconcertantes onde o espectador era levado ao centro da obra com a utilização de materiais e imagens improváveis. No final deste mesmo ano aconteceu a exposição “VERacidade”, no BRDE, também em Florianópolis, fazendo uma dança entre o ir e vir de imagens mentais, colocando em pauta questões centrais de cidades verdadeiramente possíveis.  

No primeiro semestre de 2014 aconteceram as exposições “Quase nada”, no circuito da SP Arte – sala da Aliança Francesa, em São Paulo; a exposição “Antipalavras: um lugar para estar na memória”, no Espaço Cultural Albano Hartz, em Novo Hamburgo; e a exposição “Coradjetiva”, na Fundação Cultural BADESC, em Florianópolis. Vieram outras e mais outras exposições, cada qual contando uma história...

A arte nasce da nossa memória e se materializa através da cor, linha, formas e materiais. Disto não é possível fugir! Meu diálogo dificilmente acontece em pequenos formatos. Tenho particular dificuldade em trabalhar em pequenas dimensões ou passivas relações de cores, daí uma geometria desenvolvida com elementos e motivos urbanos. Uma relação de cores que necessita do contraste, porém, sem vencedores. Estou sempre tentando desenvolver um caminho do olhar interessante onde a cor, a estrutura e os materiais utilizados determinam e finalizam a obra.

Decido o formato e as dimensões antes de iniciar. Isto é fundamental e desafiador. Fiz bem poucas telas pequenas ao longo da minha trajetória, mas depois de realizar pinturas muito grandes, necessito de uma escala mínima para recuperar certo intimismo.

Gosto de colocar título nas obras. Penso o título como um último motivo e ele finaliza o trabalho definitivamente. Não tenho a intenção de explicar a obra através dele, e para isto é preciso ter cuidado, pois as palavras têm grande força e valor em si mesmas. É preciso promover o encontro desses dois universos, mas através da apresentação abstrata e não da representação. Os materiais, técnica, cores e formas interferem na escolha. Quando realizo projetos externos, as obras seguem conexão com o lugar onde serão instaladas.

Sou uma artista urbana, mesmo quando me aventuro pelos temas naturais ou utilizo cores intensas e chapadas que não são encontradas necessariamente na fonte do tema da obra. Meu olhar que é diferente. Sou fascinada pelas questões da cidade, da visualidade selvagem da urbe, da qualidade de vida, da relação entre as pessoas e do diálogo com a cultura. As viagens são fundamentais e sem elas o meu trabalho como artista plástica não seria possível.

 

Flávia Zambon Tronca

 

 

 



Mestre em Educação Estética, Flávia Tronca é tanto artista criativa e versátil quanto professora e orientadora de pesquisas que tratam do processo de alfabetização e desenvolvimento do grafismo infantil. Em todas as suas atividades, destaca-se por transmitir com paixão sua crença inabalável pelas características sociais da arte e o seu poder transformador no desenvolvimento das funções psicológicas superiores, como atenção voluntária, percepção e memória, fundamentais para organização e evolução do pensamento superior. Sua arte apresenta a formação na Universidade de Caxias do Sul e na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), assimilando e transgredindo com personalidade os pressupostos da arte contemporânea.

 

 

Texto do artista e professor José Maria Dias da Cruz 

Flávia Tronca não abandona a pintura. Seus trabalhos dialogam com novos espaços, novas questões. Seus interesses com novos materiais e novas técnicas permitem que seus quadros se tornem presentes não como objetos, mas como pintura, no espaço imediato e com seus desdobramentos: do visual, do tátil, do háptico, do manual, do visível, do invisível e muitos outros. Curioso observarmos em um de seus trabalhos como uma superfície se transforma em pintura, não obstante por Flávia não tenha sido pintada. Uma incerteza, outra lógica: o que não está lá, está lá? E tem ainda a anulação do gesto, vale dizer, a abolição do hábito e de sua decorrência: um tempo linear. E muito, muito mais...

Instigante é que esse trabalho não se deixa reproduzir. Mas, se reproduzido, se expande para novos significados. Um trabalho riquíssimo, com muitos desdobramentos!

 

 

José Maria Dias da Cruz – Agosto de 2013.

 

*José Maria Dias da Cruz é um dos poucos artistas que deixou sua marca na história da pintura brasileira do século XX.

Filho de Marques Rebelo, conviveu com mestres como

Iberê Camargo, Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti,

e foi discípulo de Cézanne, tendo lecionado na prestigiosa EAV - Escola de Artes Visuais do Parque Lage, e no MAM-Rio

 

Exposições individuais:

 

2014

·      ANTIPALAVRAS: um lugar de estar na memória. Galeria de arte Modernidade. Avenida General Osório 987. Novo Hamburgo | RS. De 14 de abril a 12 de maio de 2014.

 

·      QUASE NADA. Aliança Francesa SP. Circuito SP Arte. Rua Ministro Rocha Azevedo 491. São Paulo | SP. De 01 a 17 de abril de 2014.

 

·      ANTIPALAVRAS: um lugar de estar na memória. Espaço Cultural Albano Hartz. Novo Hamburgo | RS. De 13 a 26 de março de 2014.

 

·      MARULHO. Maratona Cultural 2014, Espaço Cultural Estação 733. Rua das Algas, 733. Jurerê Internacional, Florianópolis | SC. De 22 a 23 de março de 2014.

 

 

2013

·      VERacidade. Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE, Espaço Cultural Governador Celso Ramos.  Centro, Florianópolis | SC. De 09 a 27 de dezembro de 2013.

 

·      Atmosphère. Aliança Francesa. Visconde de Ouro Preto, 282 – Centro, Florianópolis |SC. De 20 de agosto 01 de setembro de 2013.

 

·      CasaCor Santa Catarina 2013 Ambientes: Juliana Pippi; Anna Maya & Anderson Schussler Arquitetura e Interiores; e Letícia Silva Caldart e Leonardo Caldart Prumo Projetos e Obras. Centro. Florianópolis | SC. De 18 de maio e 30 de junho de 2013.

 

 

2012

·      Geometria Lírica. Espaço Cultural Art Office. Rua das Algas, 733. Jurerê Internacional. Florianópolis | SC. De 04 a 27 de outubro de 2012.

 

·      Tempo Emprestado. Espaço Cultural Art Office. Rua das Algas, 733. Jurerê Internacional. Florianópolis | SC. De 12 a 31 de dezembro de 2012.

 

 

 

2011

·        Portais na Mostra CASANOVA – Ambiente da arquiteta Francine Faraco. Shopping Beiramar, Florianópolis |SC. Durante os meses de setembro, outubro e novembro de 2011.

 

 

2010

·      Viajar é bom, arte também. Fibratur, Florianópolis | SC. 2010.

 

·      Geometria Lírica: entre casarios e portais. COR Galeria de Arte. Lagoa da Conceição, Florianópolis| SC. 2010.

 

·      Geometria Lírica. Semana Integrada de Produção Simbólica e Diversidade Cultural. Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC, Florianópolis | SC. 2010.

 

·      Acqua – Mostra CASANOVA. Beiramar, Florianópolis | SC. 2010.

 

 

1990

·      Cidade Natal Galeria de Arte Bassanesi. Caxias do Sul | RS. 1990.

 

 

 

 

 

1989

·      Retrospecto em Cor e Movimento Espaço cultural do Banco do Brasil - Centro, Caxias do Sul | RS. 1989.

 

 

 

 

 

 

 

Exposições coletivas:

 

 

2014

 

·      CORADJETIVA. Sala de exposições do BADESC – Banco de Desenvolvimento do Estado de Santa Catarina. Florianópolis | SC. De 29 de maio a 19 de junho de 2014.

 

·      ARTE CATARINENSE. 27ª Feira da Esperança. Centro Sul. Florianópolis | SC. De 01 a 05 de maio de 2014.

 

·      Festival VISTA, Arte e Cultura. Malhas da liberdade. Quarta edição. Espaço Cultural Beiramar Shopping - Bianco Nero. Florianópolis | SC. De 04 a 24 de fevereiro de 2014.

 

 

 

 

2013

·      DUNA. Terceira edição. Stage Music Park. Florianópolis |SC. Dia 30 de novembro de 2013.

 

·      DUNA. Primeira edição. Espaço Cultural Canto dos Araçás. Rua João Pacheco da Costa, 595. Lagoa, Florianópolis |SC de 2013.

 

·      100 Sentidos. Espaço Confraria. Rua João Pacheco da Costa, 31. Florianópolis | SC. De 27 de julho a 30 de agosto de 2013.

 

·      ForipaTem. Centro Cultural Bento Silvério. Lagoa da Conceição. Florianópolis | SC. De 05 de janeiro a 21 de fevereiro de 2013.

 

 

 

2012

 

·      Arte em Santa Catarina. Villa Francioni Vinhos e Vinhedos. Organizado pelo escritório de arte Artespazio. Rodovia SC 438 – Km 70. São Joaquim | SC. De 26 de outubro a 30 de dezembro de 2012.

 

 

·      Mostra CASANOVA.  Espaço Juliana Pippi. Escola Silveira e Souza. Rua Alves de Brito. Florianópolis | SC. 29 de setembro a 24 de novembro de 2012.

 

·      Leilão de Artes e Joias. Espaço Cultural Art Office.  Rua das Algas, 733. Jurerê Internacional, Florianópolis | SC. No dia 08 de março de 2012.

 

 

 

 

 

2011

·      Maratona Cultural. promovida pela Secretaria do Estado e Cultura, Turismo e Esporte. Espaço Cultural Art Office. Jurerê Internacional, Florianópolis | SC. Nos dias 26 a 27 de novembro de 2011.

 

·      Pequenos Gigantes. Iguatemi, Florianópolis |SC. De 17 de setembro a 30 de outubro de 2011.

 

·      Mostra Rendas. Joalheria Letícia Portella. Florianópolis | SC. 2011.

 

 

2010

 

·      Solar - Semana Ousada. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis | SC. 2010.

 

·      Acqua. Villa Francioni, São Joaquim| SC. 2010.

 

·      Plural e Singular. Galeria de Arte Salaverry. Jurerê Internacional, Florianópolis | SC. 2010.

 

·      Exposição de painéis. Galeria Helena Fretta. Florianópolis | SC. 2010.


1984

·      MOSTRACAXIAS. Casa da Cultura - Centro, Caxias do Sul | RS.

 

·      Cultura Alemã. Casa da Cultura, Prefeitura de Nova Petrópolis | RS.

 

·      “MOSTRACAXIASAGORA”.  Casa da Cultura, Prefeitura de Caxias do Sul | RS.

 

1983

 

·      “Censo”. Casa da Cultura, Caxias do Sul | RS.

 

 

 

 

 

        Cursos de aperfeiçoamento em arte e design:

 

·      Pensamento Plástico: cores e coloridos, ministrado por de José Maria Dias Da Cruz, realizado no Espaço Cultural “Coletivo”, Lagoa da Conceição em Florianópolis – SC, nos dias 20 e 27 de novembro de 2013, das 17h às 20h, totalizando 6 horas.

 

·      Subjetividade, Estética e Modernidade. Doutorado em História na Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Ano de 2010, totalizando 72 horas.

 

·      Antropologia da indumentária. Graduação em Design de Moda na Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Ano de 2019, totalizando 72 horas.

 

 

 

 

         Palestras sobre Arte:

 

·      Palestrante “Contexto do Processo Criativo” no Rotary Florianópolis Jurerê. Em 21 de novembro de 2012.

 

·      Palestrante na IV Semana de Integração Docente e Discente promovido pela Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL. Exposição e Debate: Processo criativo em diferentes enfoques. Florianópolis | SC. Em 30 setembro de 2011.

 

 

 

 

Artigos e resenhas:

 
·      Guerra, arte e transcendência: vanguardas afloradas. Revista Level. Florianópolis. Florianópolis | SC, nº 17, 2014.

 

·      A França e a moda em tempos de guerra: o “Azul Royal Air Force” foi o sucesso da estação... Revista Level. Florianópolis | SC, nº 16, 2014.

 

·      A história das listras de verão. Revista Level. Florianópolis | SC, nº 15, 2013.

 

·      Arte Contemporânea: substantivo feminino.   Revista Clube do Champanhe. Florianópolis | SC, nº 22, Ano 4, 2013. 

 

·      A pré-história da escrita: processo de alfabetização e desenvolvimento do grafismo infantil. Revista Level. Florianópolis | SC, nº 14, 2013.

 

·      Criatividade contemporânea: conjunto indissociável de redes sociais. Revista Level. Florianópolis | SC, nº 13, 2013.

 

·      A questão da contemporaneidade: o único lugar possível entre a incerteza e o risco. Revista Level. Florianópolis | SC, nº 12, 2013.

 

·      A questão do pós-modernismo na arquitetura.  Revista Episteme. Criciúma - SC, nº 16, 1999.

 

·      Percepção visual: algumas noções neurológicas e educacionais. Revista Educação, Porto Alegre | RS, nº 27, 1994.

 

·      Educação estética e intervenção no desenvolvimento humano. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. (Dissertação de Mestrado). Porto Alegre | RS. PUCRS, 1993.

 

 

 

 

Livros

 

·      MUSSNICH, E. G. ; TRONCA, F. Z. ; BALDINI, M. M. M. ; AMENDOLA, R. . Festival de Arte Urbana Tainhas na Rede. 1. ed. Florianópolis / SC: Habitasul Empreendimentos Imobiliários LTDA, 2012. v. 3.000. 64p.

 

·      TRONCA, F. Z.  Moda, Design e Modernidade. Tubarão: COPIART, 2010. v. 1. 199p .

 

·      TRONCA, F. Z. . A Ciência Psicopedagógica: pressupostos fundamentais para o trabalho transdisciplinar. Florianópolis - SC: UNISUL, 2003.

 

·      TRONCA, F. Z. ; TRONCA, D. S. ; PERONDI, D.  Processo de Alfabetização e Desenvolvimento do Grafismo Infantil. Caxias do Sul: EDUCS, 2001. v. 1. 380p .

 

 

 

 

 

 

       Projetos, curadorias e outras atividades culturais:

 

·      Projeto curadoria e coordenação do Festival de Arte Urbana Tainhas na Rede que reuniu 28 artistas. Jurerê Internacional. Florianópolis | SC. De 15 de maio a 28 de julho de 2012.

 

·      Presidente da Fundação Museu de Arte Contemporânea de Santa Catarina. Grupo formado por 40 pessoas. Pousada dos Chás. Jurerê Tradicional. Florianópolis | SC. A partir de 10 de março de 2012.

 

·      Coordenação e Edição do Jornal Cultural ART Office. Jurerê Tradicional. Florianópolis | SC. De 05 de março de 2012 a 01 de março de 2013.

 

·      IV Semana de Integração Docente e Discente promovido pela Universidade do Sul de Santa Catarina UNISUL. Exposição e Debate: Processo criativo em diferentes enfoques. Florianópolis / SC. 2011.

 

 

 

 

 

 

       Ilustração de capas de livros

 

·      Experiências de ensino de história no estágio supervisionado. Florianópolis | SC, Editora UDESC, 2010.

 

·      Vida Simultânea futurista: manifesto do segundo futurismo italiano. Autoria de Vanessa Bertolucce.  Florianópolis –SC, Editora Rafael Coppetti, 2014.

 

 

 

Coordenações, orientações e docência:

 

·      Coordenadora do Mestrado em Psicopedagogia na UNISUL e de Cursos de Especialização na mesma área UNISUL e UNIVILLE entre 2000 e 2005.

·      Orientadora de dissertações e monografias de final de curso que envolvem questões da estética e das funções psicológicas superiores na UNISUL e UNIVILLE entre 2000 e 2005.

 

·      Docência no Mestrado em Educação e Psicopedagogia da UNISUL em diversas disciplinas que envolvem questões da Arte-Educação entre 2000 e 2005.

 

 

 

 

Ateliê e sala de exposições: Rua das Algas, 733- Jurerê / Florianópolis SC.


 


 

 

 

 





!


 


Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now