segunda-feira, 12 de maio de 2014

As Donas da Bola no Centro Cultural São Paulo.


O Centro Cultural São Paulo abre a exposição As Donas da Bola, com curadoria de Diógenes Moura, patrocínio Petrobras e Caixa Econômica Federal, reunindo 11 dos mais representativos nomes da fotografia brasileira: Ana Araújo, Ana Carolina Fernandes, Bel Pedrosa, Eliária Andrade, Evelyn Ruman, Luciana Whitaker, Luludi Melo, Marcia Zoet, Marlene Bergamo, Mônica Zarattini e Nair Benedicto. A exposição tem um conjunto com 121 imagens, cor/ preto e branco, as quais retratam a presença da mulher e suas relações com a cultura do futebol, esporte tão característico do universo masculino.

Especialmente neste momento em que tudo parece girar em torno da bola, é preciso desconcentrar o futebol do mundo masculino e intensificar a participação da mulher neste espaço, exibindo a diversidade das suas experiências e realidades. Superados os preconceitos e desigualdades de gêneros, a atenção se volta ao olhar feminino, aos detalhes que sua sensibilidade aguçada lhe permite captar. Para este projeto, as imagens foram feitas em diversos locais do país - como São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Amapá e Bahia, entre outros -, mostrando, além das peculiaridades de cada região, que o fanatismo e o amor pelo time também pertencem ao universo feminino. Com fotografias em planos abertos e retratos, os ensaios ultrapassam o trabalho documental e chegam a um resultado ensaístico, especialmente pensado para a exposição. O “futlama” (futebol na lama) de Macapá, tribos indígenas praticando o esporte, mulheres jogando e a praia de Ipanema como um belo cenário ao fundo, detalhes de objetos decorativos em casas de torcedoras – são algumas cenas que estarão expostas.

As Donas da Bola reúne fotógrafas profissionais com grande experiência no fotojornalismo, seja em trabalhos autorais ou em ensaios, e mostra o lado delas acerca desta tradição, por meio de um modo de ver especial, sensível, de um ponto de vista interior – sem a pretensão de considerá-lo material de consumo. “Essa iniciativa pretende preencher uma lacuna importante ao aplicar a percepção e a consciência social sobre a importância da mulher no futebol enquanto esporte, dentro de uma cultura nacional ainda em formação.”, comenta Diógenes Moura

Neste sentido, o material produzido e apresentado nesta mostra resulta em um documento fundamental para o entendimento e a compreensão da fotografia, a partir de um olhar feminino sobre o maior fenômeno cultural do Brasil. 









Exposição: As Donas da Bola
Fotógrafas: Ana Araújo, Ana Carolina Fernandes, Bel Pedrosa, Eliária Andrade, Evelyn Ruman, Luciana Whitaker, Luludi Melo, Marcia Zoet, Marlene Bergamo, Mônica Zarattini e Nair Benedicto
Curadoria: Diógenes Moura
Patrocínio: Petrobrás e Caixa Econômica Federal
Abertura: 17 de maio de 2014, sábado, às 16h
Período: 18 de maio a 13 de julho de 2014
Local: Centro Cultural São Paulo
Rua Vergueiro, 1.000 – São Paulo, SP
Tel.: (11) 3397-4002
Horário: De terça a sexta-feira, das 10 às 20h; Sábados, domingos, feriados e pontos facultativos, das 10 às 18h.



Exposição defende o olhar das mulheres sobre o futebol brasileiro – As Donas da Bola, no Centro Cultural São Paulo

O Centro Cultural São Paulo abre a exposição As Donas da Bola, com curadoria de Diógenes Moura, patrocínio Petrobras e Caixa Econômica Federal, reunindo 11 dos mais representativos nomes da fotografia brasileira: Ana Araújo, Ana Carolina Fernandes, Bel Pedrosa, Eliária Andrade, Evelyn Ruman, Luciana Whitaker, Luludi Melo, Marcia Zoet, Marlene Bergamo, Mônica Zarattini e Nair Benedicto. A exposição tem um conjunto com 121 imagens, cor/ preto e branco, as quais retratam a presença da mulher e suas relações com a cultura do futebol, esporte tão característico do universo masculino.
Especialmente neste momento em que tudo parece girar em torno da bola, é preciso desconcentrar o futebol do mundo masculino e intensificar a participação da mulher neste espaço, exibindo a diversidade das suas experiências e realidades. Superados os preconceitos e desigualdades de gêneros, a atenção se volta ao olhar feminino, aos detalhes que sua sensibilidade aguçada lhe permite captar. Para este projeto, as imagens foram feitas em diversos locais do país - como São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Amapá e Bahia, entre outros -, mostrando, além das peculiaridades de cada região, que o fanatismo e o amor pelo time também pertencem ao universo feminino. Com fotografias em planos abertos e retratos, os ensaios ultrapassam o trabalho documental e chegam a um resultado ensaístico, especialmente pensado para a exposição. O “futlama” (futebol na lama) de Macapá, tribos indígenas praticando o esporte, mulheres jogando e a praia de Ipanema como um belo cenário ao fundo, detalhes de objetos decorativos em casas de torcedoras – são algumas cenas que estarão expostas.
As Donas da Bola reúne fotógrafas profissionais com grande experiência no fotojornalismo, seja em trabalhos autorais ou em ensaios, e mostra o lado delas acerca desta tradição, por meio de um modo de ver especial, sensível, de um ponto de vista interior – sem a pretensão de considerá-lo material de consumo. “Essa iniciativa pretende preencher uma lacuna importante ao aplicar a percepção e a consciência social sobre a importância da mulher no futebol enquanto esporte, dentro de uma cultura nacional ainda em formação.”, comenta Diógenes Moura.
Neste sentido, o material produzido e apresentado nesta mostra resulta em um documento fundamental para o entendimento e a compreensão da fotografia, a partir de um olhar feminino sobre o maior fenômeno cultural do Brasil. 



Exposição                 As Donas da Bola
Fotógrafas                 Ana Araújo, Ana Carolina Fernandes, Bel Pedrosa, Eliária Andrade, Evelyn Ruman, Luciana Whitaker, Luludi Melo, Marcia Zoet, Marlene Bergamo, Mônica Zarattini e Nair Benedicto
Curadoria                  Diógenes Moura
Patrocínio                 Petrobrás e Caixa Econômica Federal
Abertura                    17 de maio de 2014, sábado, às 16h
Período                       18 de maio a 13 de julho de 2014
Local                           Centro Cultural São Paulo
Rua Vergueiro, 1.000 – São Paulo, SP
Tel.: (11) 3397-4002
Horário                        De terça a sexta-feira, das 10 às 20h; Sábados, domingos, feriados e pontos facultativos, das 10 às 18h.
Número de obras       121
Técnica                      Fotografia
Dimensões                 70 x 50cm a 150 x 150cm

Assessoria de Imprensa
Balady Comunicação - Silvia Balady/ Zeca Florentino
Tel.: (11) 3814-3382 – contato@balady.com.br

Diógenes Moura
Nasceu em Recife, Pernambuco. Curador de fotografia, escritor, jornalista, roteirista e editor independente, recebeu o prêmio APCA – Associação Paulista dos Críticos de Arte de melhor livro de contos/crônicas de 2010 com o livro Ficção Interrompida - Uma Caixa de Curtas (Ateliê Editorial). Com o mesmo título, foi finalista do Premio Jabuti de Literatura 2011. Publicou o livro que reúne fotografias e contos São Paulo de Todas as Sombras (Ed. Tout pour Plarire, Paris/Briquet de Livros, Brasília). Em outubro de 2008, recebe o prêmio de Melhor Curador de Fotografia do Brasil na escolha dos Melhores da Fotografia, realizado pelo Fotosite/Sixpix. Em parceria com a Editora Terra Virgem publica, em abril de 2009, o livro Pierre Verger – Fotografias para não esquecer. Entre 2000 e 2012, realiza cerca de 120 exposições, palestras e monólogos relacionados com a sua pesquisa sobre a fotografia brasileira, em especial sobre o retrato. Também durante esse período publica cerca de 70 livros/catálogos referentes às exposições e ao seu pensamento fotográfico. A partir de 2008, vem atuando como curador no projeto Agosto da Fotografia, festival nacional que se realiza anualmente nos principais museus e galerias de Salvador, na Bahia. Autor e curador de olhar silencioso, não possui nenhuma expectativa em relação ao futuro da humanidade, mesmo assim finaliza o livro fotográfico de contos Fulana Despedaçou o Verso e a novela A Placa Mãe. Diógenes Moura só entende fotografia vendo-a como literatura.

Fotógrafas
Ana Araújo
Nascida em Tacaratu, município do Sertão pernambucano. Graduada em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco, iniciou sua carreira de fotojornalista, em 1988, na imprensa sindical e no jornal Folha de Pernambuco. Entre 1989 e 1991, trabalhou como fotógrafa freelancer nas sucursais dos jornais O Estado de São Paulo e Folha de São Paulo, no Recife. Entre 1991 e 2009, trabalhou no Jornal de Brasília e foi primeira mulher contratada na função de repórter fotográfica da sucursal da revista Veja.
Ana Carolina Fernandes
Do Rio de Janeiro, é graduada em Fotografia pela Escola de Artes Visuais do Parque Lage, iniciou sua carreira no jornal O Globo e depois no Jornal do Brasil. Em 1988, integra a equipe da Agência Estado na capital paulista. Em 1994, retorna ao Rio onde trabalhou fazendo still de cinema. Em 1998, retorna às redações pela sucursal da Folha de S. Paulo no Rio. Foi ganhadora de diversos prêmios. Atua em diversos projetos pessoais e autorais, e também como freelancer para Folha de S. Paulo, revistas e agências de notícias internacionais.
Bel Pedrosa
Do Rio de Janeiro, viveu na Espanha (1972-1975), no Peru (1975-1980), na França (1983-1986), onde foi assistente do fotógrafo Carlos Freire, e na Holanda (1995-1997). Entre 1988 e 1995, trabalhou como repórter-fotográfica para o jornal Folha de S. Paulo. Desde 1995, colabora para diversos jornais e revistas nacionais e internacionais, e fotografa capas de livros e retratos de autores para diversas editoras. Também participa, desde 1997, de diversas exposições no Brasil e no exterior como fotógrafa e organizadora.
Eliária Andrade
É graduada em Jornalismo pela Fundação Cásper Líbero, e pós-graduada em Globalização e Cultura pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo. É repórter fotográfica há 24 anos, com passagem pelo jornal Diário Popular e Diário de São Paulo. Atualmente, está no jornal O Globo.

Evelyn Ruman
Com mais de 25 anos de atuação, trilha o caminho da Fotografia Documentária e interventiva, na busca por um olhar que represente o outro de maneira digna e evidencie o contexto em que vive. O eixo temático de seu trabalho fundamenta-se nos problemas sociais, sobretudo, os vinculados à condição de mulheres em situações de vulnerabilidade. Já recebeu diversos prêmios, como na Bienal Internacional de Arte de Roma (2012), e o Prêmio Accesit de Federación de Planificación Familiar de España em 2002.
Luciana Whitaker
Natural do Rio de Janeiro, iniciou sua carreira no New York Newsday, em Nova York. De volta ao Brasil, trabalhou como editora de fotografia na sucursal carioca do jornal Folha de S. Paulo. Em 1996, no norte do Alasca, documentou a cultura nativa até a caça tradicional da baleia. Foi vencedora de diversos concursos fotográficos, e suas obras encontram-se em importantes coleções internacionais. Lançou o livro “11 Anos no Alasca”, em 2008. Agora, no Brasil, fotografa para jornais, revistas e agências de notícias nos Estados Unidos, Europa e Brasil.
Luludi Melo
É graduada em Matemática pela UERJ. Trabalhou como repórter-fotográfica nos jornais Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, agência Reuters de notícias e foi editora de fotografia da revista Época. Desta a cobertura das eleições presidenciais de 89, 94, 98 e 2002; shows internacionais; GPs de F-1; Jogos Olímpicos; Liga Mundial de vôlei; assassinato do presidente do Paraguai, Luiz Argaña; eleições presidenciais no Chile; Festival de Cinema de Veneza e Pan Americano no Rio de Janeiro. Atualmente, é sócia proprietária da Agência Luz de Fotografia.
Marcia Zoet
De Juiz de Fora, é graduada em Jornalismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora, iniciou no fotojornalismo na década de 1980 em veículos de comunicação do País, como Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, O Globo e Jornal do Brasil. Há mais de dez anos, é proprietária da Illumina Imagens e Memória, em São Paulo. Tem fotos publicadas em diversos livros, como: Imigrantes: Crônicas da Vida; 200 anos do Banco do Brasil e Transformações Amazônicas. É autora das imagens do livro Folia de Reis – Imagens, Receitas e Ladainhas, Aiuruoca-MG, de 2012.
Marlene Bergamo
É de São Paulo. Iniciou sua carreira no fotojornalismo no extinto jornal “Notícias Populares”. Foi vencedora do Prêmio Jovem Fotógrafo. É coautora do livro “Brasil Bom de Bola” e “Carandiru”. Nos últimos anos tem fotografado “still” para filmes nacionais ao lado de diretores como Hector Babenco e Ugo Giorgetti. É presidente da ONG “A.I.C. Papel Jornal”, que trabalha com adolescentes da periferia de São Paulo. Integra a equipe de fotógrafos do jornal Folha de S. Paulo desde 1995.
Mônica Zarattini
Mestre em Ciências da Comunicação pela ECA/USP, é editora-assistente de fotografia do jornal O Estado de S. Paulo, onde iniciou como repórter-fotográfica há 25 anos. Participou de importantes reportagens nacionais e internacionais. Recebeu diversos prêmios. É autora da série de retratos da exposição VIVA LA DIFERENCIA! do Museu da Ciencia de Barcelona (2007 / 2009). Possui fotos publicadas em diversos livros e catálogos. Integra o acervo de fotografia do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM).
Nair Benedicto
É de São Paulo, graduada em Comunicações pela Universidade de São Paulo, foi uma das fundadoras da Agencia F.4 e do Nafoto-Núcleo dos Amigos da Fotografia. Suas obras integram importantes acervos nacionais e internacionais. Sua produção fotográfica – já premiada por diversas vezes na área do jornalismo -, é voltada para temáticas sociais, especialmente as que envolvem mulheres, crianças, populações indígenas e ecologia. Atualmente, dirige a N Imagens, que concentra a veiculação de seu acervo e produção, onde realiza workshops e palestras no Brasil e no exterior.

Centro Cultural São Paulo
Espaço público de cultura e convívio, recebe o público em quatro pavimentos de uma área de 46.500 m² localizada entre as ruas Vergueiro e a 23 de maio, e entre as estações Vergueiro e Paraíso do metrô. Inaugurado em 13 de maio de 1982, a partir da necessidade de uma extensão da Biblioteca Mário de Andrade, transformou-se em um dos primeiros espaços culturais multidisciplinares do país. O projeto concebido por um grupo de arquitetos coordenado por Eurico Prado Lopes e Luiz Telles deu origem a um espaço caracterizado pela arquitetura do encontro, que atualmente oferece um conjunto de bibliotecas com acervo multidisciplinar de reconhecida relevância; Expressivas coleções da cidade de São Paulo - Coleção de Arte da Cidade, Discoteca Oneyda Alvarenga, Missão de Pesquisas Folclóricas de Mário de Andrade, Arquivo Multimeios e Coleção Memória do Centro Cultural São Paulo; Uma programação que pode ser desfrutada gratuitamente ou a preços populares, com espetáculos de teatro, dança e música, séries voltadas à literatura e à poesia, mostras de artes visuais, atividades ligadas aos acervos, projeções de cinema e vídeo, oficinas, debates e palestras; Jardins com árvores sobreviventes da construção do metrô que estabelecem um contraponto ao visual, à sonoridade e ao ritmo urbanos; E a simples e rara oportunidade de parar, estar, criar em um espaço público amplo, vivo, democrático.


Zeca
---
Balady Comunicação
Tel.: 11-3814.3382

Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now