terça-feira, 18 de março de 2014

Adriana Eu artista da Luciana Caravello Arte Contemporânea



"Perguntado sobre sua amizade por La Boétie, que morreu ainda jovem, o ensaísta e escritor francês Michel de Montaigne (1533-1592) comentou: 'Na amizade a que me refiro, as almas entrosam-se e se confundem numa única alma, tão unidas uma à outra que não se distinguem, não se lhes percebendo sequer a linha de demarcação. Se insistirem para que eu diga por que o amava, sinto que não o saberia expressar senão respondendo: porque era ele, porque era eu'.
Da mesma maneira, a produção de Adrianna Eu não busca explicações para as relações que estabelecemos ao longo da vida, por reconhecer que elas (as explicações) não existem, ou nunca são suficientes. Algo sempre se lhes escapa e é nesse terreno incerto que habitam os trabalhos de Adrianna Eu. Interessa a ela a maneira que nos sentimos em relação ao outro e em relação a nós mesmos. O que tiramos das relações que estabelecemos, sejam elas quais forem, e o que elas nos deixam como herança, como memória."
Fernanda Lopes


Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now