quarta-feira, 24 de abril de 2013

A Cor Tropical de José Maria Dias da Cruz


A Cor Tropical

 

Quando Frans Krasjcberg chegou ao Brasil declarou que a intensidade da luz tropical matava as cores. Se observarmos as pinturas do norte europeu notamos que a tonalide dos quadros se baseiam na harmonia vermelho-verde e uma luz branda. Quadros como o Casal Arnolfini de Van Eyck e Os Embaixadores de Holbein são bons exemplos para ilustrar o que estamos querendo afirmar.


      



Van Eyck
 

Holbei
 
                                                 

Já no Mediterrâneo percebe-se a harmonia az
ul-amarelo, uma luz mais forte e um colorido com as cores mais intensas e, como exemplo, temos os quadros de Van Gogh.



van Gogh
 

Já nos trópicos a intensidade da luz realmente impede um colorido pleno de harmonias cromáticas ou com as pequenas sensações cezanneanas. Temos nos trópicos uma grande sensação baseada na harmonia amarelo-azul, não obstante nela possamos também encontrar muitas sutilezas cromáticas e a representação da luz construída em uma clave alta.

Uns quadros de Georgina de Albuquerque são uns bons exemplos de uma percepção no sentido de uma luz e de uns coloridos tropicais. Uma boa resposta para a observação de Frans  Krasjcberg,
               

     

 
 
 
 
Georgina Albuquerque

 


E dessa artista temos também o quadro A Mulher, um retrato psicológico da mulata bem brasileira.

 


 Georgina de Albuquerque

 

José Maria Dias da Cruz – Florianópolis, abril de 2013

Nenhum comentário:

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now