quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Conversando sobre Arte Entrevistado Virgilio Neto




Virgilio Neto

Virgilio Neto natural de Brasília, onde vive e trabalha. Autodidata. Artista jovem, mas com um belo currículo. Obrigado Virgílio.







Fale algo sobre sua vida pessoal.
Nasci em Brasília mas fui criado em Anápolis, no estado de Goiás. Depois voltei à Brasília pra estudar na UnB. Morei em Londres ano passado e foi lá onde decidi que iria investir na minha produção. Não venho de uma família de artistas, mas meus pais são pessoas que sempre me apoiaram no que eu acreditava. Voltei pra Brasília esse ano, aluguei um ateliê com amigos e aqui estou.

Como foi sua formação artística?
Me considero um pouco autodidata. Minha formação na universidade foi em design gráfico, mas sempre que podia fazia algumas matérias na faculdade de artes plásticas. Com o tempo comecei a me interessar mais por artes, ir à exposições, conversar com artistas, ver filmes, ler catálogos, visitar museus. É uma formação mais horizontal, sem escolas ou rigidez acadêmica; guiada pelo encantamento do fazer artístico e do aprendizado diário que vem do contato que tenho com esse universo.

Que artistas influenciam seu pensamento?
Borges, Oiticica, Julião Sarmento, Hilda, Clarice, Gil Vicente, Beuys, Bacon, Goya, Godard, Farnese, Bergman, Caetano, Wally, Glauber, Torquato, Bethânia, Lucia Laguna, Leonilson, Bethoven, Richter, Varejão, Dumas, Grupo Corpo, Sartre, Kundera, Shakespeare, Townbly, Abramovic, Tracey, Vinícius, Rufino, Gil, Caio F., Alÿs, Warhol, José Rufino, L. Bourgeois, Jan Ader, Rimbaud, Drummond, Pina...
(só pra citar alguns)


Como você descreve sua obra?
Não consigo descrever minha obra. E é nesse não saber que ela nasce.

Além dos estudos sobre arte, que outros estímulos influenciam em seu trabalho?
A vida.O cotidiano, as viagens, as pessoas. As diferenças.

É possível viver de arte no Brasil?
Creio que sim. Comecei a trabalhar com arte a pouco tempo, vejo que existem pessoas que vivem disso e desenvolvem um trabalho admirável e venho me organizando para que um dia eu viva assim: da arte e pra arte.Arte é um trabalho como outro, com desafios tanto no começo como no decorrer da carreira.

Como é o mercado de arte contemporânea em Brasília?
Existe um mercado, mesmo que ainda tímido. Tem muita gente produzindo e pensando arte contemporânea por aqui, o que é o mais importante. Penso que com a circulação dessa produção, diminuindo a distância das obras com o público, a tendência desse mercado é aumentar.

Você tem uma rotina de trabalho?
Tenho uma rotina flexível, mas trabalho todos os dias. Tem aquilo do trabalho mais físico; de ir pro ateliê, pesquisar, imprimir fotos, desenhar, comprar papel, limpar a mesa, responder emails, orçar molduras, apontar o lápis, ler, escrever projetos... mas tem o outro trabalho que pra mim é o que sustenta tudo: a vivência e o pensar. E isso te acompanha em qualquer lugar, qualquer hora.

Você participou de uma exposição no Rio de Janeiro, como foi a experiência?
Foi ótimo, para mim é importante colocar o trabalho pra dialogar com outros artistas, críticos, curadores e público. A cena artística do Rio é viva e pulsante, como a própria cidade. Sempre faço questão de participar da montagem e estar na abertura quando possível. Ver o trabalho na galeria, longe do ateliê, permite outra análise da sua produção. E sempre que volto para Brasília das viagens, volto contaminado dessas experiências, me dá ânimo pra continuar e produzir.

Qual sua opinião sobre as Bienais e Feiras de Arte?
Creio que são importantes. Elas refletem, cada uma de sua maneira, parte da produção nacional e internacional. O que não é interessante é depender somente delas pra movimentação da cena artística contemporânea.

O que você pensa sobre os salões de arte? Alguma sugestão para aprimorá-los?
Participei de vários Salões de Arte esse ano, e eles foram importantes pra dar visibilidade ao meu trabalho e me colocar em contato com pessoas que estão produzindo e que estão ligadas diretamente com a arte contemporânea brasileira. Penso que o Salão tem que ser um lugar não de prêmios ou consagrações, mas de criação de novas conecções e leituras entre os trabalhos selecionados.

Quais são seus planos para o futuro?
Continuar desenvolvendo meu trabalho. Viajar, morar em outras cidades. Conhecer pessoas. Terminar de ler os livros de minha estante, comprar mais livros. Ir ao cinema, escrever...

O que você faz nas horas vagas?
Saio bastante na noite, seja em Brasília ou nas cidades que visito. Para encontrar com os amigos, ver gente, dançar, conversar, escutar...


























"The surface is all you’ve got. You can only get beyond the surface by working with the surface. "
Richard Averdon

"Virgílio colabora com o tom inverso das coisas, nos faz vê-lo por meio dos nossos medos, questionamentos e emoções. Isso se torna claro à medida que - em meio a balaclavas, erotismo, cães e poesia - fui descobrir que sua 'Eneida' tinha a forma de rabiscos."
Jullia Bolliger
.....................................


PRINCIPAIS EXPOSIÇÕES // SELECTED EXHIBTIONS:

individual:
2011 DIÁLOGOS, Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul - MARCO, Campo Grande.

coletivas:
2011 17° SALÃO DE ANAPOLINO DE ARTE, Galeria Antônio Sibasolly, Anápolis.
2011 NOVÍSSIMOS, Galeria de Arte Ibeu, Rio de Janeiro.
2011 SALÃO UNAMA DE PEQUENOS FORMATOS, Galeria Graça Landeira, Belém.
2011 MIRADA DESOBEDIÊNTE, Galeria Parangolê- Espaço Cultural 508, Brasília.
2010 FRESH PRODUCE, Anno Domini Gallery, San Jose.
2010 OPEN GALLERY, Brick Lane, Londres.
2010 AOS VENTOS QUE VIRÃO, Espaço Cultural Contemporâneo - Ecco, Brasília.
2010 FRESH PRODUCE, Anno Domini Gallery, San Jose.
2009 COLETIVA 2009, Andrea Mendes Galeria, Brasília.
2009 SALÃO DE ARTES IATE CLUBE, Iate Clube, Brasília.
2009 INTER-VIR, Objeto Encontrado Galeria, Brasília.
2009 SMALL IS BEAUTIFUL, Edge Art, Londres.
2009 RECICLANDO CIDADES E CONCEITOS, Espaço Cultural Zumbi dos Palmarer, Brasília.
2009 CADERNOS DE DESENHO, Hill House, Brasília.
2009 FRESH PRODUCE, Anno Domini Gallery, San Jose.
2008 FAM - Festival Internacional de Arte e Mídia, Galeria UnB, Brasília.
2008 OUTROS, Objeto Encontrado Galeria, Brasília.
2008 FIGURAÇÃO, Alliance Française, Salvador.
2008 ABERTURA, RV Cultura e Arte Galeria, Salvador.

3 comentários:

Celia Matsunaga disse...

O cara é bom demais!!!

adrianabittar disse...

belo! parabéns!

Jonathas de Almeida disse...

Muito bom meu brother! Tento lhe acomponhar daqui. Abraço.

"maddox-Jonathas"

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now