sábado, 5 de junho de 2010

Fernanda Gomes Um Encontro

Fernanda Gomes Foto do artigo de Suzana Velasco O Globo



Instalação com caixas de fósforos ()



Instalação Museu Serralves, 2006.


Sem título (2004) Galeria Luisa Strina.




Fernanda Gomes (1960-) Tomei conhecimento de Fernanda Gomes quando a artista Cristina Mathias entrevistou-a para sua monografia, Chris falou sobre a chegada ao apartamento da artista. Apenas duas cadeiras e um taco arrancado com um grão de feijão brotando. Há alguns anos depois,visitei o ateliê de Fernanda Gomes. Uma sala repleta de móveis e janelas provenientes de uma instalação desmontada. Nas paredes dois quadros. Um deles, sobre a tela de lona foram colados, no canto inferior esquerdo, dois pequenos pedaços de papel. Perguntei se estava pronto e ela respondeu: "Penso que sim". Faltava um taco no assoalho substituido por cravos da Índia. Depois de falar sobre sua vida e sua obra, ela nos levou ao quarto onde guardava o material para realização de suas obras. Jamais vi algo tão belo, o acúmulo de material variando entre o branco e o beje era composto de caixas de papelão, papel, filtros de cigarros, antigas caixas do requeijão Catupiry, madeira, barbante etc... Para mim, foi um dia inesquecível e a descoberta de uma artista pouco falada, mas com uma obra incrível. Há dois anos, encontrei numa loja, de uma galeria do Leblon, o catálogo de sua exposição no Museu Serralves, Portugal. A dona era amiga da artista e falou do encantamento com sua obra. No dia 8 de junho a Galeria Arthur Fidalgo inaugurará a exposição de Fernanda, lá estarei para reverenciar artista que tanto admiro. Nascida no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha. Formou-se em desenho industrial na ESDI. É representada pelas Galeria Luisa Strina em São Paulo e Arthur Fidalgo, Rio de Janeiro. Além das exposições das galerias comerciais em diferentes países. Participou das Bienas São Paulo, Veneza, Sidney, Instambul e participou de mostras na Serpentine Gallery e nos museus MAC Chicago, MAC, Los Angeles, MAM,RJ, Pampulha, BH e Serralves, Porto, Portugal. A própria Fernanda em depoimento a Cris Mathias falou sobre sua obra: "As coisas que estão em torno e a relação direta com a experiência constitui , ainda, o objeto principal da minha ação. O tempo aparece aí de forma determinante. Tanto em continuidade obsessiva como na sua simples incorporação, inevitável aliás, que altera todas as coisas. Nisto surge a cor. Uma cor é produzida por estação lenta e contícua do tempo e que se transforma incessantemente, e que talvez seja o aspecto mais visível desses processos que produzem estas coisas".
Artistas Plásticas do Rio de Janeiro que Participaram das Bienais Internacionais de São Paulo, na Última Década do Séc.XX _ Maria Cristina de Campos Mathias, Rio de Janeiro: Instituto Metodista Bennett, 2000.
Fernanda Gomes _ Fundação Serra Alves, Porto, 2006.

Um comentário:

Jozias Benedicto disse...

Márcio, muito bom o texto com o perfil da Fernanda, não a conheço pessoalmente mas admiro seu trabalho! Nos veremos na Artur Fidalgo, grande abraço
Jozias

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now