quarta-feira, 26 de abril de 2017

Correspondência da Artsy

Hi - my name is Louise, and I work at Artsy. While researching Frida Kahlo, I found your page: http://marciofonsecaimagemsemanal.blogspot.com/2013/10/a-crianca-na-historia-da-arte.html

I am reaching out to certain website and blog owners that publish content in line with our mission to make all the world’s art accessible to anyone. We hope to continue promoting arts education and accessibility with your help. 

Our Frida Kahlo page provides visitors with Kahlo's bio, over 8 of her works, exclusive articles, and up-to-date Kahlo exhibition listings. The page also includes related artists and categories, allowing viewers to discover art beyond our Kahlo page. We would love to be included as an additional resource for your visitors via a link on your page. 

If you are able to add a link to our Kahlo page, please let me know, and thanks in advance for your consideration. 

Best, 
Louise 

"I paint self-portraits because I am so often alone, because I am the person I know best."
-Frida Kahlo

Sando Boticelli


Sandro Botticelli (1445-1510) Um dos mais importantes pintores da Escola Florentina do renascimento. Foi aprendiz de Fra Filippo Lippi e Verrocchio. Aos 20 anos, já tinha seu próprio ateliê. Foi patrocinado pela família Médici, que governava Florença. Nesse período, seus temas preferidos eram pagãos. Foi convidado pelo Papa Sisto IV para trabalhar, juntamente com Ghirlandaio, Perugino, Cosimo Rosseli e Luca Gignorelli, na elaboração dos afrescos da Capela Sistina. Após a morte de Lourenço Médici, por influência do beneditino Savonarola, Botticelli passou a produzir sua extraordinária obra sacra. Self-Portrait, 1495. 
Atualmente, a maior exposição já realizada sobre o artista nos Estados Unidos, incluindo a Venus, cedido pela Gallerie della Uffizi. A retrospectiva está no Museum of Fine Arts, Boston.






 Virgin and Child. Madonna of the Loggia, 1467. Gallerie Ufizzi, Florença.



Portrait of Giuliano de Medici, 1478, National Gallery of Art, Washington.

Ideal Portrait of a Lady (“Simonetta Vespucci”), 1475-1480.



Virgin and Child. Madonna of the Book, 1478-80.  Museo Poldi Pezzoli, Milan.


Adoration of the Magi,1481-1482. National Gallery of Art Washington.



Primavera, 1480. Gallerie delli Uffizi, Florença.



Minerva and the Centaur,1482. Museum of Fine Arts, Boston.



Nativity, 1482-1485. Stwarte  Gardener Museum, Boston.



The Annunciation, 1485. Metropolitan Museum of Art, Nova York.


The Birth of Venus, 1486. Gallerie Uffizi, Florença.



 Venus,1484-1490. Museum of Fine Arts, Boston.




Coronation of The Virgin (San Marco Altarpiece),1490-1492. Gallerie Uffizi, Florença.

Madonna of Pomegranate Madona and Child and Six Angels,1487. Gallerie Uffizi. Florença.



Virgin and Child with Saint John the Baptist, 1490. Museum of Fine Arts, Boston.



The Last Communion of St. Jerome, 1495. Metropolitan Museum of Art, Nova York.
Derelicta or Abandonned, 1495.


Mystic Crucifixion,1500. Havard Art Museum.


Three Miracles of Saint Zenobius, 1500-1510. The Metropolitan Museum of Art, Nova Yorrk.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Curso no MAC USP - Desenhos da Paisagem, da Cidade e do Museu


Art Rio 2017


Paisagens - Vernissage Fernando Brum no Hostel Contemporâneo

Paisagens - Vernissage Fernando Brum
Público
 · Organizado por Hostel Contemporaneo


  • Sexta, 5 de maio às 18:00 - 23:00
    Próxima semana

dotART galeria Abrindo a Caixa, Barulho e Green Sinal Verde para o Saque das Américas



DOTART GALERIA INAUGURA NOVAS EXPOSIÇÕES NO DIA 25 DE ABRIL: “ABRINDO A CAIXA”, “BARULHO” E “GREEN OU SINAL VERDE PARA O SAQUE DAS AMÉRICAS”
LÍVIA MOURA, FELIPE FERNANDES E REGINA VATER
ASSINAM AS MOSTRAS, RESPECTIVAMENTE

Bons ares, ares bons. É com este frescor que o ano começa na dotART galeria, com a inauguração de novas exposições no dia 25 de abril: “Abrindo a caixa”, de Lívia Moura; “Barulho”, de Felipe Fernandes; e na Sala Pensando o vídeo “Green ou Sinal verde para o saque das Américas”, de Regina Vater.
Com curadoria de Wilson Lazaro, diretor artístico da galeria, a mostra traz dois jovens e consistentes artistas, Felipe Fernandes e Lívia Moura, que se conectam e transformam a experiência da arte pela vivência do espaço, criando um universo pictórico de poesias e formas.
“É uma pintura pensada, construída e realizada sobre uma arquitetura do gesto e da experiência, que não é estática e posiciona o espaço dentro da dimensão do tempo, imprimindo movimento à matéria, um apelo sensorial dessa pintura atual que está sempre incorporada pela cor e pelas formas. A tela é a morada desse gesto em momentos tão intensos, em contextos tão austeros. Delicado ou não, colorido ou não, tudo se resume numa boa e sedutora pintura. Esse é o sentido.”, comenta o curador.
Na Sala Pensando, um vídeo de Regina Vater, uma artista consagrada que teve um importante papel político nos anos 70, com obras ainda atuais. Mantém exposições tanto no Brasil quanto no exterior.

Abrindo a Caixa – Lívia Moura
O título da exposição remete ao mito de Pandora, no qual ela abre uma caixa deixando escapar todos os males do mundo e culpando todas as mulheres pelo pecado original. Segundo historiadores, a origem deste mito tem suas raízes há mais de 6 mil anos, quando Pandora era uma das representações do “vaso divino”.
Esta exposição faz parte de estudos e projetos que a artista desenvolve há 10 anos. As cerâmicas foram produzidas em 2010 no sul da Itália e lançadas ao mar em 2016 nas Ilhas Cagarras, no Rio de Janeiro. Elas são um resgate da Pandora arcaica, do antigo vaso que jorra o mar e é engolido pelo oceano.
As pinturas intituladas “Abrindo a Caixa” são um jorro explosivo que sai dos vasos. “Elas foram feitas com argilas que venho recolhendo no sul de Minas misturadas com tintas industrializadas. Nessas pinturas trago o movimento natural das tintas jorrando e escorrendo, conjugado com jatos de spray e minhas pinceladas, num exercício de diálogo e, por vezes, de camuflagem entre natura cultura”, conta Lívia Moura.
              Pandora é a mulher- biosfera, que parece desordenada, mas que é na verdade a ordem secreta do vivo, da matéria orgânica que se desdobra em mil possibilidades, produzindo ininterruptamente e espontaneamente novas formas de vida.

Barulho – Felipe Fernandes
Felipe Fernandes parte de formas simples como folhas, círculos e manchas. A mostra inicialmente levava o nome “primário”, pois eram as primeiras imagens que vinham, em um processo o mais espontâneo possível.
 “Observei que a maior parte das pinturas passava a ideia de um movimento brusco, mas silencioso. Trabalhava contrastes e densidades de tinta e cor. A imagem, o figurativo, ou mesmo o gráfico, continuava lá, como um ponto de apoio para o olhar. As pinturas mostram uma intenção de figuração, mas que se perde na abstração que as manchas e coberturas de tinta proporcionam”, conta o artista.
Com o amadurecimento desse processo, “Barulho” tornou-se uma opção interessante de nome. “O barulho é algo difícil de definir, às vezes podemos identificar alguns sons reconhecíveis mesmo sendo uma massa sonora. Mas o barulho é por definição abstrato, uma interferência muitas vezes, no curso de um som inteligível. Mais do que falar das formas primárias que são o gatilho para a pintura, aqui o foco é justamente o desdobramento que elas proporcionam, o barulho que é gerado em meio ao que pode ser identificado”, finaliza Felipe Fernandes.

SALA PENSANDO
Green ou Sinal verde para o saque das Américas - Regina Vater
Trata-se de um trabalho desenvolvido para uma vídeo escultura executada na Bélgica, que a artista enviou para a curadoria da mostra “América, The Bride of the Sun”, realizada no Koninklijk National Royal Museum. Participaram também artistas como Ana Maiolino, Waltércio Caldas, Cildo Meireles, Tunga, Roberto Evangelista etc. O vídeo mostra as riquezas da flora e as invenções agrárias do “Novo Mundo” que foram exploradas e exportadas para a Europa depois do “descobrimento” do Brasil.


 Lívia Moura.



Felipe Fernandes.



SERVIÇO:
Abrindo a Caixa – Lívia Moura
Barulho – Felipe Fernandes
Green ou Sinal verde para o saque das Américas - Regina Vater
Abertura: 25 de abril, às 18h30.
Visitação: até 24 de junho de 2017.
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9h às 19h. Sábado, das 9h às 13h.
Local: dotART galeria – Rua Bernardo Guimarães, 911 – Funcionários – BH/MG
Entrada Franca.
Contato: (31) 3261-3910/ dotart@dotart.com.br.
Instagram.com/galeriadotart

Constrangimento do Tempo - Rodrigo de Almeida Cruz na Alfinete Galeria de Arte Curador: Renato Lins

Amigos, é com muita felicidade (e um tanto de alívio kkk) que comunico a abertura da minha primeira exposição individual, que acontecerá sábado, 6 de maio na @alfinetegaleria ! Vamos curtir esse momento juntos.


Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now